quinta-feira, 18 de abril de 2013

Saindo para passear


Essa é a semana para tirar pó dos livros e colocá-los para andar. Livros precisam tomar ar, um pouquinho de sol, passear e conhecer novos leitores. Essa é a semana BookCrossing Blogueiro e vai até o dia 23, aproveita e dê uma boa olhada na sua estante, quem sabe você encontra alguns livros que estão loucos para passear! Eu escolhi três: O exército de um homem só de Moacyr Scliar que já deixei na farmácia, A Pata da Gazela de José de Alencar, que é bem curtinho e deixei no ônibus e
Como Stella recuperou o rebolado, Terry McMillam


Vocês se lembram que eu andei em uma livraria bem baratinha? Vejam aqui. Entre os livros que comprei está Como Stella recuperou o rebolado, ele me chamou a atenção por vários motivos, foi escrito por uma autora americana negra, que fala do modo de vida de afro-americanos bem sucedidos, formados em boas universidades, com bons salários e o romance é escrito em primeira pessoa: a própria Stella.
Stella é divorciada, tem um filho e uma carreira. Stella esta com 40 anos e é uma mulher contemporânea com todas as angústias dos dias de hoje: preocupada em criar seu filho pré-adolescente sozinha, administrar a sua bem sucedida carreira (tem uma BMW na garagem e mora em um condomínio de luxo), ser uma boa cidadã, manter a forma e de vez em quando ir a alguns encontros. Duas semanas de férias, o filho com o pai e sem nada para fazer, vê um anúncio sobre conhecer a Jamaica e se pergunta: por que não?  Ao longo do romance essa pergunta se repete várias vezes, ela conhece um aprendiz de cozinheiro muitos anos mais novo e por que não? Ela se apaixona e por que não? E ao longo do romance ela se pega enfrentado a família, o filho, os amigos e as dúvidas de assumir um romance com um garoto que ganha o que ela gasta em um jantar.
A autora ao contar sua história de amor, traça um painel da sociedade e cultura negra americana, principalmente sobre a vida das mulheres modernas e urbanas, ora corajosas, ora medrosas e muitas vezes engraçadas. Por que não ler esse livro? Vale a pena.
“O que eu sei, no fundo no fundo embora mantenha isso em segredo, é que fico apavorada só de pensar em me envolver de todo o coração outra vez com um homem.” Stella
SOBRE A AUTORA
Terry McMillan (1951-  ) – jornalista e escritora americana, publicou Como Stella recuperou o rebolado em 1998, no Brasil é editado pela Editora Record.

* Esse vou por para passear amanhã, provavelmente no Shopping.

21 comentários:

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

sorte de quem encontrou o livro! eu gostei do tema do livro, vou anotar e procurar pra ler!

é isso aí, cultura que circula.
bjs Jussara, ótimo dia pra vc

P.S. Lucas disse...

Eu quero saber mais sobre a Stella, espero que consiga encontrá-lo logo em algum biblioteca ou livraria!

Não sei se eu consigo deixar meus livros irem, é como se fosse uma parte de mim que vai embora. Ainda preciso trabalhar nisso…

Pandora disse...

A frase final da Stella é minha cara kkk... Fiquei curiosa com esse livro, os norte-americanos me intrigam, ou melhor a forma deles de separar as pessoas em grupos me chama a atenção, é um estilo de vida curioso.

E sim, a farmácia é mais um lugar para deixar livros que eu nunca experimentei, vai para a lista.

Luana disse...

Adorei o tema do livro!

Roseli Pedroso disse...

Adorei o título do livro e mais ainda da sinopse. Já vai pra lista de compras da biblioteca que trabalho. Parabéns pela participação. Também estou na blogagem e te espero por lá.
Abraço,

Calu disse...

De fato,Ju, há livros que nos pegam pelo título e pronto logo estão em nossas mãos sendo lidos com interesse.
Gostei do tema.Vou anotar.
Bjos,
Calu

Beth/Lilás disse...

Oi,Jussara!
É bem legal participar dessa campanha do 'esquecer um livro', tô nela desde o início e sempre é um prazer e uma nova descoberta.
Achei um barato o tema desse livro e se me lembrar na livraria, vou comprá-lo também.
Desta vez esqueci dois livros num frescão para o Rio e no outro de volta. Na volta, deixei o livro no banco em que estava sentada e vi pelos vidros do mesmo que uma mulher que vinha atrás de mim, pegou-o, mas não abriu para ler o que escrevi no início. Quando eu saí do ônibus, ela veio atrás e entregou o livro para o motorista dizendo que alguém tinha esquecido o mesmo num banco. Eu vi aquilo e na hora fiquei até um pouco desolada, pois achei que ela seria a pessoa certa para o livro de poesias da Adélia Prado que eu deixei, mas aí eu me aproximei dela e disse-lhe "Poxa, que pena você não ter ficado com o livro!".
Aí ela surpresa me perguntou se era meu, e eu disse-lhe da nossa campanha pela Internet e que se ela tivesse aberto e lido a primeira página veria que estava lá escrito que era um livro livre para ser lido e passado adiante.
Ah você tinha que ver a cara dela, tentou até voltar ao ônibus que já estava com as portas fechadas e o motorista lendo atentamente a primeira página e descobrindo o que era aquele livro.
Falei pra ela que não era pra ser dela e sim dele, inclusive nestes dias em que tantos motoristas veem fazendo barbáries no trânsito do Rio, quem sabe isto ajudará aquele homem a ficar mais sensível lendo poesias, abrandando os sentidos tão duros que a vida deles é neste trânsito caótico das nossas cidades.
E não é legal mesmo esta campanha?
mega beijo carioca


Evanir disse...

É exatamente nas mãos de Jesus que devemos nos colocar quando as coisas não vão bem.
Se a luta está pesada, busque auxílio nele.
Somente em Jesus encontramos a verdadeira segurança e a verdadeira paz.
Agradeço o carinho e compreensão pela demora,
em retribuir sua visita tão carinhosa.
Deus abençoe seu final de semana .
Beijos no coração e meu eterno carinho,Evanir..

Celia na Italia disse...

Por onde vc andou com esta belezinha?
Queria eu encontrá-lo e saber o resto da trama!
Quem sabe eu tb o encontro por aqui?
Super abraço e uma ótima semana!

Celia na Italia disse...

Ju
Embalada por vc e pelo Ale do "Lost in Japan", vou "cometer" o mesmo pecado desta divisão - brincadeirinha.
Vai ser muito legal, tenho certeza que alguém, depois de desconfiar de uma "pegadinha", vai poder aproveitar o prazer de uma bela leitura.!
Ótima semana Ju!

Renata Diniz disse...

Meus parabéns pela sua participação.
Hoje estou visitando todos que participaram desse Projeto.
Está sendo um prazer conferir as experiências.

Um abraço!

Carlos Medeiros disse...

Penso em tb deixar alguns livros como se perdidos por aí, para alguém achá-los. Pretendo ler A mulher que escreveu a bíblia, de Moacyr Scliar. Bom domingo.

Trícia disse...

Gostei do título do livro, rs.

Hoje tirei o dia pra conhecer os outros blogueiros que tb estão participando deste belíssimo projeto!

Bjs!

Suzana Martins disse...

Eu gostei do título também.
Acredito que seja um livro incrível.
Não conheço, acredita?!
Fiquei com vontade agora.. rs...

Beijos

Luma Rosa disse...

Oi, Jussara!!
Outro dia passei aqui rapidinho para pegar o seu link e acabei pegando errado o nome dos livros. Desculpa eu? :)
Acho que alguns escritores possuem a vontade de levar o mundo para alguma direção ou se essa direção está presente mas não visível, ele quer deixar mais claro, afinal, depois da possibilidade apresentada, ela poderá começar a ser aceita.
Veja quantos homens namoram mulheres que não possuem poder economico equiparado à eles e nunca são questionados com essa questão. Mas quando invertemos o papel, mundando apenas o sexo, tudo se complica. A sociedade é mesmo hipócrita!
Por que a mulher economicamente independente, ainda tem que dar satisfação do que faz com seu dinheiro para gato, cachorro, papagaio? O homem pode dar uma jóia para uma mulher e dirão como justificativa: Ele gosta dela. Mas e quando é a mulher?
Ah, esse livro já está na minha lista!!
Obrigada por participar do BookCrossing Blogueiro mais uma vez!! :)

Regina Rozenbaum disse...

Ah queria passear nesse shopping e encontrar esse livro rsrs Vou comprar, gostei do tema.
Beijuuss Ju

Regina Rozenbaum disse...

Ah queria passear nesse shopping e encontrar esse livro rsrs Vou comprar, gostei do tema.
Beijuuss Ju

Marina disse...

Jussara, passei aqui só pra mandar um beijo! Sumi do 365 ideias e agora tô só falando sobre vidas simples no blog do ano sem compras. Instalaram a net na minha casa hoje e estou voltando à vida na net... Você é uma das pessoas bacanas que conheci através da net e quis dar uma passada aqui. Bjo

Tathiana disse...

Ah, eu quero... rs. E se vc esquecer ele num malote que venha para SS-74? rsrs.
Estou embarcada, nem eu posso passear! rs. Mas sorte de que encontrar. Achei interessante a história.
Beijos.

Neanderthal disse...

Oi Jussara.
O seu comentário sobre o livro "Como stella recuperou o rebolado" me deixou super curiosa! Fiquei interessada e assim que a minha lista de livros a serem lidos der uma aliviada, vou incluí-lo. E como eu ando em uma sanha danada de boa para a leitura, estou em um ritmo de 500 páginas a cada dois dias. Mas só para livros de ficção. =)

No mais, fiquei curiosa a respeito do tal Cross Book. Nunca havia ouvido falar, mas eu tenho medo de deixar um livro em algum lugar e cair nas mãos de alguém que não o leia ou que vá destruí-lo. Prefiro esperar pelo momento em que vou topar com alguém interessado e digo "Eu tenho! Quer de presente?"
Beijos

Beth Blue disse...

Jussara, esta estória de book crossing é muito bacana...por aqui também volta e meia aparece algo parecido. Em geral sou apegada demais aos meus livros, minhas prateleiras estão transbordando!!! Mas tem fases que "dou a louca" e faço doações de livros para um sebo daqui. Eu mesma compro lá e tem sempre bons títulos no meio das prateleiras, é só saber fuxicar direitinho (e isso eu sei hehehe).

O livro da Terry McMillan eu já conhecia há anos mas sabe que fiquei inspirada com sua resenha?!! Deu vontade de ler. Mas lerei no original: How Stella Got Her Groove Back.

O livro virou filme em 1998, você assistiu?