quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Elegância e poder

Evita – Imagens de uma paixão, Matilde Sánchez



Eu tenho uma boa coleção de livros de arte, não tantos quantos queria, e os uso para pesquisa e deleite, eles são bem diversificados, fotos, arranjos de flores, design de móveis ou objetos e já publiquei alguns por aqui, até mesmo um catálogo. Evita –Imagens de uma paixão é um deles.  Evita é um mito mundial, pela sua história, por sua elegância e por sua morte trágica. Começou como uma atriz de baixo escalão tentando subir na vida entre o teatro e o rádio que chegou a primeira-dama da Argentina, que com seu carisma fez sombra ao marido em popularidade. Toda a sua trajetória pública durou sete anos, nos quais ela foi fotografada mais que um cantor pop ou uma supermodelo da época, ao longo dos anos 40 e 50, seu rosto esteve em capas de revista, cartazes e foi explorado pelos jornais do mundo inteiro. Até hoje quando se fala em elegância desse período sempre aparece uma foto dela.
Imagens de uma paixão é um livro de fotos e que fotos! É o tipo de livro que gosto, uma referência dos anos 40/50 do século XX, da moda, do povo na rua, das rádios, das festas e recepções e muito mais. Esse é um livro que estou sempre consultando por inúmeras razões, uma dela foi à procura de microfones de época para um comício, pois em certos aspectos o Brasil era bem parecido com a Argentina, afinal somos todos latinos americanos. O livro não se pretende a um estudo sobre Evita, existem excelentes biografias dela, mas traz uma pequena biografia e uma contextualização da época na Argentina e do momento da foto, uma vida através de fotos!
Evita era carismática, sabia como ninguém usar um microfone de rádio e pautou sua  vida pública em defesa das mulheres, já que era filha ilegítima e conheceu o sofrimento da mãe e irmãos, dos pobres (a Argentina vivia uma  crise de desemprego ) e das crianças. Com seus discursos conseguiu o voto feminino, uma melhoria considerável para as crianças das cidades de lata (a versão portenha das nossas favelas) e a presidência para seu marido Juan Perón. Populista? Era sim! Mas era uma época populista. Criticável? Lógico que sim, mas o que fica é uma mulher que tinha tudo para ser uma qualquer e era o que a alta sociedade argentina pensava dela, e se tornou uma mulher que mudou a sociedade em que vivia, se tornou respeitada pelo que falava e criou esperança  para  uma população pobre e ignorada e sem qualquer representação, até hoje é cultuada na Argentina, seu túmulo no Cemitério de Ricoleta sempre tem flores frescas. Uma mulher bonita e glamorosa que causou e causa muita admiração por seu porte, elegância e eloquência, para qualquer pessoa interessada em moda e nesse período da história latina esse livro é uma festa.
Evita é um mito fashion e um ícone da cultura do século XX, uma inspiradora de moda, obras literárias, teatro, musicais e filmes, não é à toa que a Madonna pediu para fazer o filme musical que leva seu nome, aliás um filme belíssimo.  Evita – Imagens de uma paixão está esgotado em livrarias, mas é facilmente encontrado em sebos e na internet, alguns em excelente estado,  ele uma das minhas indicações para um presente de Natal diferente.
“Sim, claro que é um melodrama! Porque os pobres não inventam a dor – eles a suportam.” Eva Perón
SOBRE O AUTOR
Matilde Sánchez (1958 -   ) – jornalista e escritora argentina, Evita – Imagens de uma paixão foi publicado em 1996 na Argentina, no Brasil é publicado pela Editora DBA e Cia Melhoramentos de São Paulo.
Imagens compiladas por Fernando García e equipe vinculada a Universidade de Buenos Aires.

17 comentários:

Beth/Lilás disse...

E eu bem que gostaria de ganhar um exemplar, viu!
Bem, Evita não era aquilo tudo que a mídia argentina e o governo colocou lá em cima. Vi o filme com a Madonna no papel da Evita, muito bom!
Los hermanos são muito caricatos até hoje para falar dela, lembro-me que em B.Aires há anos atrás, um vendedor de uma loja que tinha badulaques e um deles com a cara da musa inesquecível, valorizou-a, disse pra nós o quanto aquela mulher fez pela nação e um monte de blá blá blás. Coisas exageradas que los hermanos têm pra se expressarem - la mais grande - hehe
Bom, pelo menos ela não foi uma primeira dama apagada como algumas que conhecemos aqui no nosso país, né!?
beijinhos cariocas

Luana disse...

Sabia que nunca li a biografia dela? Sei a historia, mas nunca li a biografia.
E eu adoro livros de fotos! Deve ser lindo!

Inaie disse...

Adorei o post. adoro "ouvir" vc falar com tanta paixao...

Pandora disse...

Eu fiquei arrepiada com a frase do final!!! Evita é um presente que eu daria a mim mesma porque sim, também sou uma colecionadora de certo livros :)

Regina Rozenbaum disse...

Também não li, ainda, nenhuma biografia dela. Sempre li aqui e acolá e muitas vezes, como escreveu, em reportagens de revistas femininas, quando fazem histórico sobre moda, figuras marcantes,elegantes, etc e tal. Posso imaginar que esse livro seja belo. Agora estou lendo a bio da Oprah e vou te contar um negócio...resiliência pouca é bobagem!
Beijuuss Ju

Rosa de Paiva Lopes disse...

Eu gosto do exercício de leitura de fotos.
A forma como Evita discursava ficou marcada, ela sabia combinar a imagem com o discurso.
Eu acho que ela estudava aqueles gestos e pausas no espelho ou será que já nos 40 tinham os assessores?

Bem, melhor que o credito fique pra ela.
Olha nem vi o livro e a imaginação já tomou conta, kkk.
Bj


Cinderela Descaída disse...

Deu tango!
Agora, falando sério: indico um livro ótimo escrito por dois jornalistas brasileiros que acabam com a aura da Evita e do seu marido. Segundo eles, a Argentina deve aos dois (e aos seus seguidores) a decadência em que mergulharam.
O nome do livro: O guia politicamente incorreto da América Latina. Vale conferir!
Beijo,

Sandra Portugal disse...

Excelente análise querida amiga!
Passei aqui nesse 1o. de dezembro para desejar um mês de festas repleto de amor, de alegrias e de renovação de Fé, de esperanças e de sonhos!
bjs Sandra
http://projetandopessoas.blogspot.com.br//

Clarice Lúcia Silva disse...

A presença dela é muito forte. Seu porte elegante e seu dom da palavra a elevaram onde poucas mulheres conseguem alcançar.

Um excelente presente, sem dúvidas.

Um lindo fim de semana!
Beijos

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Não conheço muita biografia de Evita. Apenas o essencial.
Sei que era carismática e que foi considerada um ídolo na sua época e ainda hoje.
Sabia ser e sabia estar. Sabia ver e sabia falar.

É bom recordar estas figuras mundiais

Bia Jubiart disse...

Boa tarde Ju! Aqui caindo uma chuva fina... Fiquei a imaginar que festa eu faria saboreando numa tarde as páginas dos seus livros de arte hummm... Vou procurar o título, achei interessante, junto com sua história vem todo o modo de viver de uma época, deve ser muito rico de informação!

Tenha uma semana maravilhosa!

Bjooooooooooo

Bia Jubiart disse...

Para quem se interessar, encontrei no site da Estante Virtual, com excelente preço, entre 14,00 e 17,50 - em ótimo estado!

Bjsssss

Calu disse...

Excelente dica.Exageros e idolatrias á parte, Evita marcou uma época com seu carisma e verve política.
Sou apreciadora desta décadas na história dos povos.Será bem interessante "ler" este livro.
Bjos, Ju.
Calu

Luma Rosa disse...

Dizem que a coleção de jóias de Evita foi a maior desde Cleópatra e a alta sociedade argentina, a consideravam hipócrita, por defender os pobres usando diamantes. Mas como disse Joãozinho Trinta "Pobre não gosta de pobreza". Apesar dessa crítica, ela atualmente é uma figura seminal para todos os argentinos, qualquer que seja o ponto de vista político. Esse livro deve ser maravilhoso!!
Boa semana!! Beijus,

She disse...

Tá aí, eu gostaria muito de ler. Vi o filme com a Madonna e achei muito bom, apesar de um pouco cansativo com aquela cantoria exagerada até na hora de pedir um copo de água... kkkk Mas a vida dessa mulher é muito rica de acontecimentos e sempre vale a pena. Eu gosto demais de ler biografia, aliás, pelo tanto que gosto acabei de perceber que leio até pouco esse seguimento... :(
Beijo, beijo!
She

Adelaide Araçai disse...

Lendo sua descrição das fotografias, imaginei o prazer que deve ser fazer o seu trabalho (tá eu sei que trabalhar nunca é tão prazeroso senão se chamaria férias...rsrs) É que eu amo olhar fotos, não importa se não desconheço as pessoas ou o local, gosto de ver como a vida se deixou captar.
Fiquei bem curiosa com este livro

Abraços

Juliana disse...

tem post feito sob encomenda pra vc no meu fina flor.