quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Uma vírgula no infinito



Muitas e muitas vezes me refugiei nos livros para superar frustrações, decepções e tristezas. Algumas vezes tive plena consciência que 800 páginas eram uma fuga descarada de algum problema que eu não queria enfrentar. Acontece que o livro tinha um ponto final, meu problema, não. Algumas situações eu realmente considerei que era o ponto final, que dali para frente eu não saberia mais viver. Ter ficado viúva, após perder a mãe e o pai em um período de um ano foi um desses momentos. Quando vi essa mensagem no Facebook, sofri um enorme impacto, por que sobrevivi a tudo. E então compreendi que até no infinito tem uma vírgula.

26 comentários:

Beth/Lilás disse...

Forte. É assim que intitulo uma pessoa como você, mas com certeza tem ao seu redor carinho e muito amor para superar tantas dores.
Estas mensagens no Facebook são muitas vezes incríveis, supreendentes e eu curto muito. Esta então está demais, adorei!
beijos cariocas


Lúcia Soares disse...

Jussara, achei um encanto! Tanto a foto quanto sua consideração.
Interessante que quando tenho um problema, aí é que não consigo ler mesmo! Ou nunca tentei. É uma boa coisa a se pensar.
Beijo!

Nadia V. disse...

Que post lindo. Adorei!
Eu costumo me refugiar nos livros, na dança ou na companhia dos meus gatos. Converso com eles como se fossem gente rs.
Beijo.

O Guri disse...

Não sei porque, mas nunca tinha pensado em você dessa forma. Eu também leio pra fugir dos problemas e passo por esse drama da história acabar toda vez que um livro me cativa, talvez por eu fazer isso foi que nunca pensei que você, que é como um ídolo pra mim, fizesse algo assim também.

É até bonitinho, sabe?

Meio depressivo, ms bonitinho. Não concorda?

Beijo na bunda!

Luana disse...

Nos temos duas alternativas, seguir em frente ou parar... E seguir em frente eh sempre a melhor solucao, mesmo dentro de livros - alias, especialmente!

Inaie disse...

me emocionei com esse post curtinho. todo mundo tem a sua valvula de escape, né? livros sao os melhores. te transportam para uma realidade paralela, te despertam emoções diferentes das que estão te atormentando e ás vezes, de lambuja, te dão uma idéia de como lidar com as coisas.
Eu adoooro ler. e tenho sorte, por que tenho memória de peixe, então três livros rendem a vida inteira. Quando acabo de ler o terceiro já esqueci o primeiro!

APPedrosa disse...

Que lindo! Quanta poesia para descrever dores tão profundas.

JAN disse...

Que lindo!
Que verdadeiro!
Quanta humildade!
Quanta força Jussara!

Abração
Jan

Sandra Portugal disse...

Forte, impactante e vc nem imagina o quanto mexeu comigo!!!
bj Sandra
http://projetandopessoas.blogspot.com.br//

VaneZa disse...

Tomara que tenha mesmo.

Hoje estava me lembrando que no final do ano passado eu disse que 2011 tinha sido um péssimo ano. Eu nunca mais digo isso... porque... na boa... o próximo pode ser pior.

BeijoZzz

Celia na Italia disse...

Ju
Esta "virgula" teve o dom de "mostrar" melhor esta pessoa incrível que é vc.
Fortaleza seria o seu sobrenome caso eu não tivesse lido este post.
Agora prefiro reconhecê-la como ... sensibilidade!!!!
Super abraço

SHEYLA - DMulheres disse...

Oi, Jussara

Linda mensagem e belo depoimento sobre você mesma. Já é mais um passo adiante.

bjosss

SHEYLA - DMulheres disse...

Oi, Jussara

Linda mensagem e belo depoimento sobre você mesma. Já é mais um passo adiante.

bjosss

Beth Blue disse...

Jussara, eu também já sofri algumas perdas nesta vida, sem dúvida a maior delas foi a minha mãe...como se não bastasse, engravidei seis meses depois e num período de pouco mais de um ano perdi minha mãe e passei a ser mãe! Um dos períodos mais difíceis da minha vida...

Mas sobrevivi, como você também sobrevivei. E como você, sou uma pessoa mais forte e mais sábia. Tudo nesta vida tem uma razão de ser (mesmo que a gente não entenda), nada acontece por acaso!

Teresinha Ferreira disse...

Olá Jussara,
Ainda bem que o seu refúgio foi nos livros, não é?
Nunca esteve sozinha, pois eles nos levam a momentos, lugares e situações fantásticas. Isso ajuda a superar tantos problemas.
Algumas mensagens são muito bacanas e parece que chegam no momento certo.
Bons fluidos.

Beth/Lilás disse...

Amiga,
Coloquei um post que ficará apenas mais um dia e na verdade é um convite para participar de uma brincadeira no dia das crianças. Envie uma foto sua quando criança para participar da brincadeira. O email está lá no post, confira, ok.
Aguardo a tua fotinha, pode ser em preto e branco, inclusive, ok.
beijocas cariocas

Reflexos Espelhando Espalhando Amig disse...

Ei!
Cada um foge do que
lhe impede de ver-se.
Eu fugia do espelho,
mas me enfiava em mim mesma.
Que bom que essa virgula que seu texto
tão bem ilustras
EXISTE!
Esperamos voce la no Espelhando, a cronica do Palhaço Poeta fala de um tipo de fuga tambem.
Ja seguindo ,
bejis entre sonhos e delírios
Catiaho Reflexo d'Alma

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Primeiro o google levou-me à postagem de "Éramos seis", que buscava,para elaborar uma matéria, neste Palavras Vagabundas, que muito gostei.
Cliquei em "início", e cheguei a esta interessante "uma vírgula no infinito". Quando encontro afinidades, em algum lugar, passo a frequentar a frequentá-lo.

Hei de voltar!
Um abraço.

Carlos Medeiros disse...

São fases difíceis. Perdi meu pai quando eu tinha 18 anos, minha mãe ficou viúva aos 42 anos. Já passou, mas nunca me esqueci dessa época, e especialmente guardo no meu coração, uma tia que muito nos ajudou/companhia, numa fase difícil.

Clara disse...

Que perfeito post!

Tbm me identifico muito. Apesar de todos os pesares, o ponto final só existe na ficção. Que bom saber disso! Na verdade é um alívio....
Isso tbm me fez refletir.
Obrigada por escrever essas palavras.

Beijos

Luís Coelho disse...

A nossa vida dá muitas voltas que não sabemos aceitar nem compreender mas não será nunca o ponto final.
Tudo vai continuar e todos vamos fazer em cada dia a nossa caminhada.
Só Deus sabe o nosso fim e o nosso ponto final

Regina Rozenbaum disse...

Quero crer Ju...preciso crer! Hoje minha questão é: depois da sobrevivência o que fazemos com as sequelas? Afff!
Beijuuss n.a.

Inaie disse...

obrigada pelo carinho lá no meu blog! e siiim, por favor, reze por ela:-)

Calu disse...

JU,
alentos trazidos em mensagens inesperadas são acalantos pro espírito e pro coração.
Ver-se recomposta depois de tantas provações é uma confirmação divina das muitas vírgulas que ainda se sucederão;não, por dores, mas por alegrias.
Tenha um ótimo feriadão!
Bjkas,
Calu
Obs: continuo sem conseguir colocar tua URL lá na barra lateral.

Luma Rosa disse...

Ah, Jussara!! Você pegou pesado, heim?Não pude deixar de sentir também esse baque, mas dessa vez por suas palavras. Nós procuramos nos refugiar na magia da imaginação e tentar resgatar um tempo em que o nosso pensamento se perdia em divagações que iam além dos nossos próprios sentimentos, onde a imagem de um futuro era sempre mais grandioso! Onde não havia morte, doenças, distanciamento das pessoas... quando a gente era inocente e nada de ruim acontecia.
Caríssima, o mundo real não é fácil e só quem perdeu pessoas queridas sabe do que estamos falando, pois tudo tem solução, menos a saudade.
Beijus,

Juliana Ramalho disse...

Ah Jussara que texto!
Senti todos os seus sentimentos nessas linhas.
Acho que sobrevivemos a 100% das coisas tristes da vida.

A saudade é uma lembrança de tempos felizes que acaricia o coração, não podemos mais estar perto, mas do lado de dentro sim.

Um grande bjo

Ju