terça-feira, 14 de agosto de 2012

Nossos direitos




































As palavras são a mais poderosa droga utilizada pela humanidade. Rudyard Kipling

27 comentários:

Rogério Pereira disse...

11º direito, com definição recente:
anotar todas as páginas, escrever na entrada e no final, seja o que for, e depois enviar ao autor... Isto já aconteceu com um leitor de um livro meu...

Marina disse...

Nossa, eu adorei isso!!! Gostei especialmente do direito de não acabar um livro com o personagem dizendo que vai guardar um pedaço para o dia seguinte. Quando estou lendo um livro muito bom eu começo a ler mais vagarosamente conforme vou chegando ao final... tento adiar o momento do livro acabar porque sei que, por mais que o releia, nunca mais viverei aquela sensação e ler o livro pela primeira vez. Sei que é meio maluco, mas fico super angustiada quando encontro um livro bom assim e percebo que eles está acabando... rsrsrs...

Cissa Branco disse...

Ju,

Perfeito para mim isso, mas confesso que fico extremamente decepcionada comigo mesma quando abandono um livro, e isso já aconteceu muitas vezes, e quando falo os livros que foram, todo mundo pergunta: Mas como?! Por exemplo, não li Operação Cavalo de Tróia, O mundo de Sofia, e por aí vai... Se não rende, insisto, se vejo que não tem como, abandono.
A história do meu pai é fantástica, daria ótimas crônicas.
Grandes beijos

Notas de Rodapé disse...

Nossa, eu já usei todos os meus direitos! E várias vezes, mas confesso que os números 7 e 8 são os mais faço! rsrsrsrs

Pandora disse...

Eu sou especialista em usar e abusar do 4 \o/ Quando o povo me ver com Orgulho e Preconceito já gritam: "De novo?" rsrs O 7 também é minha especialidade... Acho que vou imprimir isso e colar pela casa rsrs

Luciano A.Santos disse...

Sempre vou me reservar o direito #10 ;) E Pennac é monstro!

APPedrosa disse...

Adorei. Já aprendi a não sofrer quando não termino um livro e, ultimamente, tenho relido trechos soltos.

Nanda Pezzi disse...

Amei Jussara! Eu amo ler ;)

Beijos, boa tarde!

nandapezzi.blogspot.com

VaneZa disse...

Adorei! Eu sou dessas que marco trechos e fico relendo depois.

BeijoZzz

Fatima Valeria disse...

Que bom, dá p quebrar um monte de regrinhas hahahaha!!!Gostei.
Abraços

O Guri disse...

O direito de ler em qualquer lugar e o de não acabar um livro são os que mais preciso agora.

Viu, obrigado pelos comentários lá no blog. Eu vou ler tudo essa semana assim que puder! ^^^)

* ONE EXPAT WIFE * uma esposa expatriada disse...

Adoreiiiiiiiiiiiiiii!!!!!!!!!
Saudades...
Perdoe-me o sumiço...
Bjs!
;-)

Portal de blogs Teia disse...

Olá.
Seu blog é muito legal,parabéns.
Quer divulgar no Portal Teia, é grátis rápido e não precisa cadastro.
Se interessar é só dar uma passadinha lá.
Até mais

José Luiz Foureaux de Souza Júnior disse...

Direitos inalienáveis para os quais, proporcionalmente, existe apenas um dever: ler!
Ops... uma rima, quase pobre!
beijinho
;-)

Lúcia Soares disse...

Muito bom, Jussara.
Concordo com tudo.
Bj

Beth/Lilás disse...

Legal Jussara!
Eu acho que tenho mesmo o 'direito de não acabar um livro', como já me aconteceu com um que tantos leram e adoraram. Mas, eu ... odiei! hehe
beijocas cariocas
]

Luana disse...

que lindooo isso!!

trouxe varios livrinhos do brasil dessa vez...

She disse...

Hahahahahaha amei querida Jussara! E é verdade mesmo, tudo e principalmente a frase como conclusão. Obrigada por sua visita e comentário, adorei. E concordo em número, gênero e grau, tanto qto as restrições, como a família americana ser louca em suas prioridades... hehe
Mas vale como cultura sim! :)
Beijo, beijo!
She

Carlos Medeiros disse...

Na releitura percebemos coisas não percebidas na primeira vez. Leio em qualquer lugar, até em ponto de ônibus, e nas caminhadas. Mas não gosto que lêem em voz, não consigo prestar atenção. Bom fim de semana.

Wilqui Dias disse...

Adorei esses direitos rsrs assim como muitos outros na vida eu os uso e nem os sei que os tenhos, ou os tenho e nao sei usa-los rsrs.
Muito obg pela visita, Bom domingo pra vc.

Lufe disse...

Oi Jussara,

Muito legal o post.
Realmente temos o direito de fazer o que quisermos com nossas leituras.
Inclusive de absorvermos ou não o que lemos.
Confesso que deixei varios pela metade, sem nenhuma intenção de retorno....rs
Por outro lado, varios me deram o desejo de que não acabassem nunca!

bjos procê

Bia Jubiart disse...

Boa noite Ju!

Amei!!!

Fiquei a lembrar de alguns livros de sucesso que deixei pela metade como o "A Cabana". Sou boa no "em qualquer lugar", as vezes o livro engole e filtra a gente, saio do real e viajo, inclusive no banheiro rsrsrsr.

Bella, tenha uma semana luz e produtiva!

Bjooooooooooo

Celia na Italia disse...

Ju
Pois é andava sumida, motivada um pouquinho pelas ferias mas muito mais pela correria do dia-a-dia.
Mas falando dos "direitos", posso falar de dois em especial.
O primeiro é o 6 ... de confundir com a vida real - qdo leio entro na narrativa e em muitas vezes estou a rir ou chorar com as emoções descritas. Já o 7 ... de ler em qq lugar é o da Eduarda, ela acorda com um gibi da Monica e passa o dia sempre atrás de alguma coisa escrita e isto é desde o café da manhã até a hora de dormir! Uma fofa!
Um super braço

Misturação - Ana Karla disse...

Já fiquei pela metade de um livro...
Massa os direitos.
Xeros

navirj disse...

Muito, muito bom. Adorei.
Beijos, Nadia

Adelaide Araçai disse...

E eu no exercicio de todos os meus direitos, vivo feliz...rsrs

Muita Luz e Paz
Abraços

Misturação - Ana Karla disse...

Ju, já parei um livro na metade, mas sempre digo que ainda vou terminar de ler.
Bacana os direitos.
Xeros