sábado, 23 de junho de 2012

Ele estava lá!


Florian Paucke (1719-1780)

Redução de San Xavier


Padres jesuítas
Uma das maiores dificuldades em fazer pesquisa para dramaturgia de época, principalmente quando ela não é teórica, no meu caso eu preciso concretizar objetos e costumes, sendo assim eu tenho que encontrar fontes confiáveis. No caso das Missões Jesuíticas, que durou até mais ou menos 1750 na América do Sul, encontramos (duramente) relatos, mas imagens é muito difícil. É preciso ler muito, andar muito e ás vezes tirar só uma informação em uma semana de trabalho. Estava procurando informações quando encontrei Florian Paucke, um sacerdote jesuíta que viveu 18 anos na redução de San Xavier, na região do Chaco argentino junto aos índios mocovis.  Ao voltar para Europa após a expulsão, esse sacerdote polonês, escreveu sobre sua experiência junto aos índios e a vida em uma comunidade missioneira, até aqui tudo igual ao que a grande maioria fez, o extraordinário é que ele deixou mais de cem aquarelas retratando tudo que viu. Essas aquarelas ficaram guardadas por anos em um mosteiro na Áustria, até serem descobertas por um historiador, também jesuíta, na década de 30 do século XX. Por volta de 1945, foi feita uma edição pequena do texto completo e das ilustrações. Edição tão pequena e rara que se você encontrar algum exemplar vai pagar uma fortuna. Em 2010, o governo argentino patrocinou uma nova edição, já esgotada.
Mocovis vestidos para festa
O que mais me encantou em Florian não foi os desenhos, pois não são primorosos, foi seu olhar sempre terno e principalmente sem qualquer preconceito. Nunca há uma critica, se os índios andam nus, nus serão retratados.  Para nós no filme ele foi uma fonte inestimável de informação e inspiração com seus desenhos, pois o principal é ele estava lá!  Infelizmente não vi nenhum dos livros, consegui algumas imagens digitalizadas do Museu de Rosário (Argentina) e algumas na net. O relato de Florian tem o agradável título de "Para lá e para cá'' é, em uma combinação de imagens e texto, a história de uma experiência reveladora: o de quem, perante um mundo novo, se permitiu passar por sua diferença e fez dessa diferença um estudo em que imperou o olhar ético e um testemunho estético.
Ao encontrar artistas como Pallière e Florian me pergunto quantos ainda estão escondidos de mim por aí, mas também sei que mais cedo ou mais tarde eu vou encontrá-los e vou agradecê-los. Por que acredito que quando fazemos alguma coisa para o bem de todos, ela sempre será útil para alguém, mesmo que mais de duas centenas de anos depois.
Coleta de erva mate
Banho coletivo no rio
Caçada a onças

Festa com bebedeira, segundo Paucke

Exemplos da cerâmica  mocovi

16 comentários:

Regina Rozenbaum disse...

Se estão escondidos de você, imagina de nós, pobres mortais, que não temos como ofício a pesquisa e produção de dramaturgia de época?! É a sua leitura que me encanta,Ju! Sempre apaixonada.
Beijuuss n.a.

VaneZa disse...

Eu tô por fora dessa parada de filme, tanto tempo sem pisar na blogosfera. A senhora pode me fazer a gentileza de depois me enviar um email contando tudo. Obrigada! kkkkkk

Beijozzz

Lúcia Soares disse...

Continuo fascinada!
Se não temos esse olhar pesquisador, necessário para a profissão, deixamos mesmo passar muita coisa.
Pena o livro ser tão raro e, por isso mesmo, ser caro. Mas tomara que lhe chegue às mãos um belo exemplar.
(ou muito me engano, ou os "casacos" dos índios eram peles de onças..rsrs Bons tempos aqueles, onde a natureza seguia seu ciclo e sua "hierarquia", os animais eram necessários e faziam parte da corrente da vida, mas serviam também aos propósitos dos homens, já que a selva da vida clamava pelas necessidades primordiais).
Beijo!

Luana disse...

Sera que um dia, daqui muito tempo, o seu blog também nao sera uma fonte de pesquisa para outros, como voce? =)

Rosa de Paiva Lopes disse...

Muito por descobrir ainda, com certeza!
BJ

Lufe disse...

Essa "garimpagem" é fascinante.É como procurar agulha no palheiro....mas se achar uma pontinha que seja, um fio puxa o outro.É preciso muita acuidade investigativa. Coisa de Miss Marple....rsrs

bjo procê

Cinderela Descaída disse...

Que adoráveis ilustrações. É como viajar no tempo.
Estou louca para ver este filme pronto...
beijo,

Ivan Monma disse...

Pois é, hoje em dia são tantas fotos, relatos e facilidade de acesso a essas informações que ficamos preguiçosos. Benditos sejam os que registraram a história em épocas que não existia o google!

Luma Rosa disse...

Gostei do seu pensamento final, pois também é o que penso. Algo como o ditado: "Faça o bem, sem olhar a quem".
Seu trabalho de resgate da história deve mesmo ser mostrado. Imagino quantas personalidades viveram e se perderam no tempo por falta de registro. Eu nunca tinha ouvido falar de Florian Paucke e me desculpe a ignorância, da existência dos índios Mocovis e gostei das aquarelas, principalmente da inusitada "Festa da bebedeira". Beijus,

Beth/Lilás disse...

Nossa, quanta novidade você acaba nos apresentando com seu trabalho de pesquisa. obrigada por partilhar isso conosco.
Eu também nunca ouvi falar em tais pinturas e índios, mas é sempre um tempo para aprender coisas novas e interessantes.
Mudando um pouco o assunto, mas é que na semana passada, uma equipe enorme da Globo filmava nos jardins de um lindo palacete de época, em Petrópolis, à tardinha, e minha amiga me avisou, dizendo que tinham muitas atrizes e figurantes com roupas de época, lindos, mas ela não soube me dizer para quê eram as filmagens. Você sabe que novela ou filme é este?
Fiquei curiosa. hehe
beijinhos cariocas

Linda disse...

Estou no paraíso! rsrsr
Que prazer te conhecer!
Eu amo ler, todo tipo de coisa. Costumo dizer que depois que aprendemos a ler viramos prisioneiras disso.
Minhas filhas já estão no mesmo caminho. Toda noite antes de dormir, vai-se um livro ou parte de um.
Acontece que uma coisa leva a outra né? Os livros contam histórias e lá vou eu fuçar tudo para saber mais sobre o assunto, e isso nos leva a pinturas, filmes, blogs e claro, mais livros.
Amei o seu espaço e vou te seguir para ficar atualizada de tudo sempre.
Um beijão!

Rafaella disse...

obrigada pelo comentário em meu blog!
infelizmente eu sou meio "novata" nessa história de moderação de comentários e apaguei seu comentário sem querer, ao invés de publicá-lo! peço infinitas desculpas!!!
pelo menos acho que aprendi agora! hehehe
bom dia!

Marta disse...

Olá Jussara, que legal receber sua visitinha carinhosa e ler o seu recadinho lá no meu cantinho, assim pude conhecer o teu, muito legal e interessante, e fiquei muito feliz que você nasce aqui...nossa cidade é berço de muitas pessoas inteligentes e talentosas como você.....tenha uma ótima semana..


!!!!beiokas!!!!

.

Agregador Teia disse...

Olá.
seu blog é muito legal,super bem escrito, de muita qualidade mesmo, parabéns.
Um grande abraço !

Fatima Valeria disse...

Tenho que ler isso com muita calma...precioso..
Abraços

Inaie disse...

e voê vai nos mostrando um mundo completamente desconhecido. Obrigada por nos levar na bagagem!