domingo, 7 de agosto de 2011

Uma xícara de chá de rooibos


Agência nº 1 de Mulheres Detetives, Alexander McCall Smith

Quando publiquei esse post o Lufe e a Lúcia Soares ao deixarem seus comentários me levaram a  uma reflexão:  como eu encontrava os livros que eu lia e o que me guiava a eles, quando não são de autores conhecidos mundialmente. Eu certamente não compraria um livro chamado Agência nº 1 de Mulheres Detetives e ainda de um autor completamente desconhecido se tivesse me deparado com ele em alguma livraria, mas não só comprei como gostei!  Como cheguei a ele? Bem, aqui começa a longa história, estava fazendo uma pesquisa (profissional) sobre chá, não qualquer chá, mas chás que caracterizassem um lugar ou uma época. Ao pesquisar na Google, sim eu pesquiso muito por esse site. A Google é uma ferramenta fantástica de pesquisa, mas não é a dona da verdade, rs... e muita gente não saber usar. Naveguei muito e muitos dias, é preciso ser esperta para não cair nos atalhos facilitados, cheguei em um texto que falava do chá de rooibos e que remetia a um trecho do livro Agência nº 1 de Mulheres Detetives, adorei o trecho,  anotei o nome do livro e autor, na primeira oportunidade comprei e li.  Eu leio livros que me são indicados e aqui, nesse espaço, muita gente tem me dado preciosas  indicações, mas após refletir eu cheguei a conclusão que o que me move para autores pouco conhecidos e livros com nomes estranhos é a curiosidade, que chega por caminhos bem tortuosos, uma pesquisa sobre chá, um diagnóstico do filho de um amigo ou um decálogo.
A Agência nº 1 de Mulheres Detetives é dirigida por Preciosa Ramotswe em Botswana, um pequeno país da África. Após receber a herança de seu pai, de quem cuidou por muitos anos após o fracasso de seu casamento e a perda de um filho, resolve abrir seu próprio negócio, uma agência de detetives, seu único conhecimento é um manual de investigação de um curso por correspondência. Pelo bem de Mma Ramotswe devo dizer que sua intuição e seu profundo conhecimento da alma humana e, principalmente,  africana é muito mais eficaz que o manual de detetive. Entre uma xícara de chá de rooibos e outra, ela vai recebendo seus clientes com afeto, sabedoria e paciência para ouvir suas longas histórias: mulheres que desconfiam dos maridos, clientes enganados por vigaristas  ou morte. Aliás em seu único caso de morte o assassino é um crocodilo, todos os seus clientes saem satisfeito, isso é um ponto de honra para ela. Enquanto ela desvenda seus casos o autor aproveita para nos colocar dentro de Botswana, seus modos, seus costumes, suas lendas, suas paisagens e tradições. Mma Ramotswe muitas vezes é mais conselheira e psicóloga de seus clientes do que propriamente uma detetive.
Agência nº1 de Mulheres Detetives é um livro curioso não é um policial, mas  tem investigação e solução dos casos. Não é um romance, mas é um romance de amor. Não é um livro folclórico ou relato de viagem, mas nos deixa o tempo todo dentro de Botswana. Agência nº 1 de Mulheres Detetives é somente um livro, daqueles que deve ser lido.
Este livro é o primeiro da série Agência nº 1, já foram escritos mais de 10 e nem todos estão traduzidos para a língua portuguesa, eu mesma só li este, mas isso não significa que eu e Mma Ramotswe ainda não vamos nos encontrar por aí!
“A resposta certa, não importa nada: o essencial é que as perguntas estejam certas.” Mário Quintana

SOBRE O AUTOR

Alexander McCall Smith (1948 - ) – nascido na antiga Rodésia do Sul, hoje Zimbabwe, atualmente mora na Escócia, catedrático em Direito é um dos fundadores da Faculdade de Direito de Botswana. Publicou Agência nº 1 de Mulheres Detetives em 1998, no Brasil pela Companhia das Letras.

20 comentários:

*** Cris *** disse...

Interessante com chegamos até os livros. Gostei da sa história.
Bjs!

Celina Dutra disse...

Jussara,

Com certeza, mesmo sem qualquer indicação, só de folhear e ler que tinha relação com país africano, eu compraria o livro. Correndo risco! rsrs Comprei um livro de autor angolano, penso que não vou ler até o final, às vezes não dá certo.

Após sua resenha, a agência de detetives já está na lista. Obrigada!

Girassóis nos seus dias!
Beijos

Lufe disse...

Gostei do caso da chegada ao livro.
Como voce mesmo disse, o titulo não nos instiga a folhea-lo nem mesmo no sebo.
Ja comprei livro por ter gostado de algum trecho achado no google, mas não me pergunte qual pois não consegui me lembrar.
Na verdade, a curiosidade move o mundo e ela tambem me leva a muitos caminhos.

bjo

Aline M. Gomes disse...

Ainda nao li o livro, mas assisti a alguns episodios da serie apresentada em um canal de TV americana em 2009. Apos assistir foi q me deparei com o livro na livraria.
Posso dizer q adorei o pouco do q vi e aposto q o livro deve ser muito melhor ate.

Otimas dicas como sempre!

Luciana Nepomuceno disse...

Não sei do que gostei mais: do livro, de você partilhar como encontra seus livros ou se da desfaçatez bem-humorada de dizer que pesquisa no Google: eu também \o/

Eu gosto de capas estranhas, de livros com nomes insólitos, mas como compro menos do que gostaria, acabo me decidindo pelo número de páginas: quanto mais, melhor.

Misturação - Ana Karla disse...

Eu também não compraria um livro com um título desses se não fosse por indicação.
Bom dia Jussara!
Xeros

Macá disse...

Ju
Tá vendo só, um livro que quase ninguém compraria, agora já deve se esgotar nas livrarias (precisamos urgente avisar o autor).
Mas gostei da resenha: um livro que não é policial mas que tem investigação; não é sobre viagem, mas onde você acaba conhecendo Botswana, só pode ser muito interessante.
beijos

Beth/Lilás disse...

Jussara!
Engraçado né, eu também não compraria este livro pelo título, mas agora com sua resenha bem feita, observei-o por outro ângulo.
bjs cariocas

Roberta M. disse...

Oi Jú!! Livros indicados por pessoas interessantes são um forte indicio de que são livros bons, vindo de vc, tenho certeza!! Eu li um livro uma vez só por causa do titulo, outro porque gostei da capa e ambos eu adorei, é uma loteria!! Ah, finalmente soube da Ro, que tb fechou o blog, não sei exatamente o porque, mas ela tá em pausa, espero que volte!! Beijocass

VaneZa disse...

Comigo acontece assim... quando o livro não é indicado ou de algum autor conhecido eu normalmente me atraio pelas capas ou então pelo título.

Já que vc gosta de indicações vou te indicar um livro de um autor aqui da minha cidade

Os Que Bebem Como Os Cães

De Assim Brasil

Talvez vc não goste... pq ele foi escrito justamente para cansar, para enfadar... no caso... cansar e enfadar aqueles que tinham que ler os livros para depois confiscá-los.

BeijoZzz

Sandra Portugal disse...

Obrigada por sua visita! Continue acompanhando as entrevistas de comemoração de 1 ano do ProjetandoPessoas!! Amanhã a entrevistada especial é a nossa querida Lena do Amadeirado!
abraço
Sandra
http://projetandopessoas.blogspot.com//

Drisph disse...

Obrigada por sua visita e comentário gentil.
Passando para desejar a você um ótimo inicio de semana, e lembrar que amanhã tem sorteio entre os seguidores - 10 livros só para vocês!
Se não estiver seguindo, ainda há tempo de participar. O sorteio é todo dia 10.
Um beijo e passe por lá amanhã para saber se teu nome não está na lista dos contemplados!

Fatima Valeria disse...

Oi Jussara!
Nova postagem no meu blog! Bjs

Daniela disse...

Nossa, que bacana. E que coincidência. E indicação é um ótimo jeito de apreciar coisas novas e diferentes!

Anônimo disse...

Li esse livro ha anos...e amei! Amei pela simplicidade com que as historias sao relatadas, me senti la na Africa, vivenciando tudinho!!

To me esbaldandoa qui na terrinha...

inaier.blogspot.com

Glória Maria Vieira disse...

Google? Não vivo sem, Juh. Qualquer dúvida, qualquer coisa mesmo, peço arrego a ele. kkkkk =)
Adorei (só pra variar!) mais essa indicação. Você é uma fofa mesmo.

Posso te indicar um dos poucos que li? Lá vai... Para sempre Alice. /aaaaaaaaaamo *-*

Anônimo disse...

Deu vontade de ler. Literatura policial, ou de suspense - as you wish! - sempre me deram coceira no cérebro. Sua resenha é bastante elucidativa. Gostei de seu comentário no meu blogue sobre o Ney Matogrosso. Temos mais um ponto em comum e sou grato a você por suas constantes visitas. De mim, não posso dizer o mesmo. Mas estamos aí!
Abraço

Teresinha Ferreira disse...

Olá Jussara,
Eu também sou fã do Google. Me socorre sempre.rs.
Não sei se é bem um problema,pois, como tem muitas informações, eu desvio do meu principal foco, mas mesmo assim é bacana, pois descobrimos outras coisas interessantes. Assim como você pesquisando o chá.
Tudo de bom.
Bjs mil

✿Lis disse...

Oi Jussara, hj eu estou passando nos blogs e retribuindo os comentários deixados na minha ausencia. Mto obg pelas visitas e pelos votos de felicidade. Depois eu volto aq para me atualizar, fiquei mto interessada no post anterior a este, dei um lida superficial, parece mto interessante.

Bjos e um otimo fds!

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Jussara, gostei!
não conhecia o autor, o livro. mas me pareceu interessante. vou procurar!

isso é muito bacana de seu blog. vc apresenta muita coisa nova e interessante. e faz o povo se apegar no clássico tb rs. muita coisa a gente fica com vontade de ler e reler ao visitar seu blog.

bjs e bom dia!