segunda-feira, 11 de julho de 2011

Proibido para menores de 60

Um toque na estrela, Benoîte Groult

Há umas duas semanas fui ao centro do Rio, como moro longe (mais ou menos a 40 km) e estava sem compromisso com hora marcada, aproveitei o passeio. Vendo vitrine, olhando a moda, as pessoas (todas apressadas), enfim, aproveitando o dia, cheguei ao paraíso: um enorme sebo. Aquele cheirinho de livro, prateleiras e mais prateleiras, com direito a ler algumas páginas bem sossegada, resultado: uma sacola de livros.  Entre eles: Um toque na estrela, o que me chamou atenção primeiro foi o nome da autora (da qual não sabia nada!), depois uma recomendação na capa da Lya Luft e por último a foto da simpática senhora que é a autora, abri, li três linhas e foi para sacola. Em casa fui dar uma olhada mais cuidadosa, comecei a ler e... amanheci lendo a última página.
Um toque na estrela fala da velhice, não da meia-idade 50/65 anos, mas sobre aqueles que já passaram dos 70, 75 anos. É um romance, Alice a protagonista tem pouco mais de 80 anos, seus filhos estão entrando na casa dos 60, é uma velha jornalista, casada, com netos e um bisneto. É genial a escolha do nome, pois há muito, muito tempo ela saiu do País das Maravilhas. Uma velhinha lúcida, sarcástica, irônica, que não teve medo de viver e não tem medo de morrer. Benoîte escreveu o livro com 86 anos, portanto sabe muito bem do que está falando e não tem o menor medo das palavras, com bom humor e muita ironia fala do envelhecimento nessa aurora do século XXI, sendo ela uma mulher do século XX: fala das restrições físicas e das expectativas impostas pela sociedade. Atenção o livro não é didático, não é lamentoso e tanto a autora como a personagem não estão arrependidas de nada! Nem mesmo querem o passado de volta!

Benoîte

Benoîte (adoro escrever o nome dela, parece Boa noite) é uma feminista francesa de primeira hora, que passou boa parte da vida lutando pelos direitos e respeito pelas mulheres, militou anos na imprensa voltada para o público feminino. No livro (que tem toques feministas e é dedicado às filhas e as netas) ela se auto sacaneia  dizendo que Alice e ela são muito  meia-oito (68), o que não a impede de ver, compreender e criticar a modernidade. Não que a modernidade seja ruim, ela se utiliza bem dela, o caso do computador é ótimo, ela faz uso dele mas deixa exposta e aberta sua velha máquina de escrever, para não esquecer que já teve tempos piores, rs  Uma velha senhora que não tem papas na língua e se pergunta a certa altura, criticando, entre outras coisas, as roupas das meninas: quando as meninas deixaram de serem crianças para virarem pré-putas e passarem na adolescência a serem Superputas? Como ela não disse, digo eu: se no fim seremos todas putas velhas!
Um toque na estrela é um hino à vida e deixa como mensagem: não deixe de viver, seja em que idade for! Você dirigiu anos seu carro, aprenda a dirigir seu andador e se jogue. Quando eu ficar bem velhinha quero ser igual a ela.
“Explicar o que é a velhice é como tentar descrever a neve para quem vive nos trópicos.” Benoîte Groult
SOBRE O AUTOR
Benoîte Groult (1920 -   ) – jornalista e escritora francesa, em 2010 recebeu a  Ordem Nacional  da Legião de Honra do governo francês. Publicou Um toque na Estrela em 2006, no Brasil pela Editora Record.

22 comentários:

Celia na Italia disse...

Pela descrição parace maravilhoso, até pq comemorar a vida é sempre tê-la VIVA por perto!

Roberta M. disse...

Deve ser muito bom Ju!!! Querida, nada de noticias da Ro, vc conseguiu alguma coisa?? Estranho né?? Beijocas e qq coisa me fala!!!

✿Lis disse...

Parece um livro bem interessante. Lembrei mto da minha sogra. Ela esta na casa dos 60 e poucos, mas diz q nao aceita envelhecer... Como a minha mae msm diz: so ha uma maneira d nao envelhecer, morrer. Minha mae adora fazer aniversario, e acho isso lindo. Ainda nao completei 30, mas espero ter na velhice o seguinte pensamento: fiz o meu melhor, e espero me aceitar mais do q me aceito hj. Bjs e um otimo dia!

Misturação - Ana Karla disse...

Oi Ju, você arrasa numa resenha, né?
Curiosidade não me falta para devorar um livro como esse.
Desse jeito minha lista não tem fim.
Bom dia
Xeros

Luciana Nepomuceno disse...

também quero, também quero ser igual a ela..mas isso você já sabia, aposto ;-)

Celina Dutra disse...

Esse quero ler ontem!

Girassóis nos seus dias.

Beijos

Lúcia Soares disse...

Vou procurá-lo depressa!
Parece muito bom. Ando precisando de uma "injeção de ânimo".
Minha mãe fará 86 anos mês que vem. O que sei é que não quero ser uma velha senhora como ela, pois tem tendência à depressão, alternada pela euforia. De modo mais brando, tem os sintomas todos da bipolaridade, e por isso fico atenta a mim mesma, para não ficar assim também. Apesar de já ter tido depressão por 3 vezes na minha vida, sou mais estável, não me deixo abater.
Tomara que a alegria da autora seja "transmissível"! rsrs
Boa semana!

Fernando Borges disse...

Despertou o meu interesse.
Vou procurá-lo por aqui.
Embora eu tenha 22 anos, sou fascinado por questões do tipo e nada melhor que uma especialista no assunto para falar sobre rs

Flávia - Compartilhando Idéias... disse...

Do jeito que você escreve suas resenhas dá vontade de ler tudo! E o tempo? rsrs
Preciso criar este hábito maravilhoso que é a leitura. E este livro deve ser muito interessante.

Valeu pela dica!
Bjs

A. Marcos disse...

Nunca quero conversar com vc pessoalmente...lê tanto que eu nem teria o que oferecer em termos de conversa...rsrsrsrs

Uma parte de mim disse...

Olá querida Jussara!! tb estava devendo uma visita em seu blog,que por sinal amei, não sou uma leitora como vc.Mas adoro livros e leio sempre, mais sem pressa, gosto de voltar as páginas quando necessário rsrsrs.
Entrei a menos de um mês no clube do livro e estou amando a troca.Me interessei por esse livro e a frase belissima,"não deixe de viver,seja em que idade for"
Já estou te seguindo viu?
Meu email:vanypaulino@gmail.com
twitter:@vanypaulino.
bjo,ansiosos a espera da cartinha =)

Macá disse...

JU
AH!!!! snif, snif, como você disse que é proibido para menores de 60, não vou poder ler.....
Posso desobedecer a regra? rsrsrsrsrs
Fiquei bem interessada. Vou procurar, dar para minha irmã ler e depois peço emprestado, não é bom?
Já anotei (ou vc vai me emprestar?)
beijos

Cintia Branco disse...

Ju,

Que legal essa obra, aborda o tema por um ângulo diferenciado e com uma mensagem única que tantas vezes queremos seguir e não conseguimos, o ato de viver plenamente, independente de idade e outros tabus que se acumulam na nossa formação.
Adorei! Grandes beijos

M. disse...

Não conhecia:(

Bom ver mulheres a escrever. Fazem falta. Uma escrita diferente e um pensar...melhor...lol

Lufe disse...

Tenho aqui em casa meu pai com 95 e minha mãe com 89, ambos com essa filosofia de vida. Alto astral.Como em minha casa sempre foi matriarcado, a “mamma” ainda continua comandando as ações. Ela esta programando a festa de seus noventa anos e será festa a fantasia. Como meu pai esta utilizando cadeira de rodas por artrite nos joelhos, ela já esta bolando a fantasia de Rei e Rainha, pois transformara a cadeira num trono. Ela evoluiu com o mundo, trabalhou desde os dezenove e se aposentou como executiva na esfera federal. De cabeça aberta, convive com as netas sem nenhum pudor, tendo o ano passado pago a passagem de uma delas, de 20 anos, para NY onde foi se encontrar com o namorado e ficar com ele durante um mês. Noto nela um grande interesse pela vida e esta sempre disposta a discutir coisas novas, sejam de que área for. Isso mantem a mente ativa. Ela não se acha velha, acha que tem muita quilometragem. Em condições normais de temperatura e pressão, chega fácil aos cem.

Gosto de livros assim, de gente inteligente e com coisas a dizer.
Sua analise foi ótima e desperta o interesse à leitura.

bjos

Guará Matos disse...

Um forte abraço em você. Estou excluindo hoje e já esse blog. Conto contigo nos seguintes endereços: www.abordagenseimpressões.com (Site) e no http://abordagenseimpressoes.com/press (Blog Wordpress).
Gostaria de lembrar que para eu comentar é preciso que espaço para comentário tenha a opção “nome e url”.
Valeu mesmo e vamos recomeçar.

Larissa, Lara, Lalá, .... disse...

Eu li este livro faz uns dois anos, e e' isso ai' que voce escreveu na sua resenha ... Beijos

Drixz disse...

Adorei a dica! Acho que vou dar esse livro para minha mamis de presente. Ela vai adorar. Eu digo, com relação as meninas, não me preocupo somente com as mini-putas, mas com as mini-fúteis, paradas, travadas, meninas que não brincam, que não se divertem e que vão para o salão no dia do aniversário com as amiguinhas.

Carlos Medeiros disse...

Claro que pretendo ler. Parece uma delícia.

Cintia Branco disse...

Ju,

Obrigada pelo carinho, que bom que gostou da minha casa nova, Seu comentário vai ficar guardadinho até o dia do sorteio para não haver dúvidas do processo, kkk.
Beijos

Glorinha L de Lion disse...

Puxa Jussara, deve ser ótimo! E que incrível deve ser essa mulher. Chegar aos 86 assim...quem não quer, né? Tb quero! Ótima resenha! bjs,

Celina Dutra disse...

Jussara,

Ri, Admirei, Encantei-me, Relembrei, Torci, Refleti, Apaixonei-me por Alice, Chorei (sou chorona), Embeveci-me! AMEI "UM TOQUE NA ESTRELA" da Benoîte Groult. Fascinei-me com o jeito de apresentar a história e com os sarcasmos e ironias inteligentes!

Obrigada pela dica!
Girassóis nos seus dias!
Beijo