segunda-feira, 27 de junho de 2011

Pouco estudo, isto é ser estudante

Boca do Inferno, Ana Miranda

Mancebo sem dinheiro, bom barrete,
Medíocre o vestido, bom sapato,
Meias velhas, calção de esfola-gato,
Cabelo penteado,  bom topete.


Presumir de dançar, cantar falsete,
Jogo de fidalguia, bom barato,
Tirar falsídia ao Moço do seu trato,
Furtar a carne à ama, que promete.

A putinha aldeã achada em feira,
Eterno murmurar de alheias famas,
Soneto infame, sátira elegante.

Cartinhas de trocado para a Freira,
Comer boi, ser Quixote com as Damas,
Pouco estudo, isto é ser estudante.

Este é um dos poemas de Gregório de Matos, o Boca do Inferno, eu, você e todo mundo passamos por ele ao estudarmos o Barroco, você se lembra de alguma coisa relevante? Nem eu! Guardadas as devidas proporções fizemos exatamente o que o poeta descreveu da vida de estudante no século XVII. Talvez, alguém até se lembre de Pe.  Antonio Vieira e seus famosos Sermões, afinal ambos moraram em Salvador-BA e foram contemporâneos. Eu, como alguns sabem, guardo informações em algum lugar a espera de ser ampliada. Neste caso, a história de Gregório de Matos e sua língua ferina, achei tudo que precisava saber e mais um pouco em Boca do Inferno. Um romance delicioso de ser lido começa com a descrição da cidade, aqui chamada Bahia, ainda capital do Brasil, onde acontece um crime político de grandes proporções, onde todo mundo é envolvido, quem estava do lado do morto e quem estava contra, Gregório de Matos não fica de fora dessa confusão, até mesmo Pe. Vieira é envolvido. Depois do crime a investigação, as jogadas políticas e a vingança.
Ana Miranda mistura a história real e seus personagens com figuras ficcionais e extrai disso um romance deslumbrante, inclusive recriando a linguagem barroco-brasileiro na fala de seus personagens. Seu herói Gregório é um advogado de boa família que estudou em Coimbra completamente louco, devasso e poeta.  Ele até começou a vida direitinho foi Desembargador da Relação Eclesiástica, mas a vida de esbórnia, sua paixão por mulatas, sua língua cruel e suas posições políticas, tendo sido inclusive denunciado no Tribunal da Inquisição, faz com que perca seu cargo. Conhece a piada: perco amigo não perco a piada? Este é Gregório.  Nada passa impune por sua pena, padres, comerciantes, políticos, gente rica, gente pobre, fidalgos, moças direitas, mulheres casadas, putas de rua, donas de bordel e a própria cidade a todos dedicou um poema satírico.  Tantas fez que acabou exilado em Angola, pôde voltar ao Brasil ainda que proibido de colocar o pé na Bahia, sua amada cidade. Seu apelido Boca do Inferno não era em vão!
Gregório de Matos (1633-1696) foi o primeiro poeta satírico brasileiro e é considerado um dos mais importantes poeta satírico da língua portuguesa. Hoje é mais lembrado por sua poesia irreverente, algumas eróticas e até pornográficas, mas também fez poesia lírica e até sacra, além de cantar sua cidade. Descubra nesse romance tudo que você perdeu naquelas aulas chatas de literatura durante o colegial.
(...)
Abrasado, em vivo fogo,
Pedro, que o jogo sabia,
disse, eu te pico, Maria,
por que tu me piques logo:
disse ele, pois o teu fogo
é dos melhores que achei,
Pica-me, Pedro, e picar-te-ei.(...) Gregório de Matos

SOBRE O AUTOR
Ana Miranda (1951-  ) – escritora e poetisa cearense, criada no Rio de Janeiro, publicou Boca do Inferno em 1989 e recebeu o Prêmio Jabuti de 1990 na categoria revelação do ano. O romance é editado pela Companhia das Letras

19 comentários:

Beth/Lilás disse...

Olha só, minha amiga, eu nem poderia imaginar tudo isso quando li, lá naqueles idos escolares, algumas poesias ou trechos deste poeta incrível!
Adorei saber e ler por aqui agora!
beijos cariocas

Lufe disse...

Tambem só o conhecia de nome por fazer parte de nossos poetas do Barroco.
Não me lembro de ter lido nada dele.
Você como sempre nos reapresenta obras e autores focados com a sua visão peculiar e com isso nos abre novas portas.
Outra boa indicação de leitura.

bjos

Luana disse...

Que interessante! Sera que consigo comprar pela internet? gostei muito da dica!

Celina Dutra disse...

Mais um pra lista! Mas eu gostava, gosto ainda, de ler os poemas ferinos e debochados do Gregório de Matos. Só nada conhecia da sua história.

Beijos

A. Marcos disse...

Eu fico impressionado com o tanto de leitura que vc faz....uma delícia.

Pentacúspide disse...

Parece-me o Bocage brasileiro. É uma figura anónima para mim, mas fiquei curioso sobre ela.

Glorinha L de Lion disse...

OI Jussara, li esse livro há muitos anos, assim que foi publicado, e ganhou o Jabuti, se não me engano.... Fez um sucesso estrondoso e lançou a Ana entre as melhores escritoras do país. Está na minha estante, junto com as outras dezenas de livros que li...alguns, como já te disse, nem me lembro mais...é livro demais pra uma pessoinha só e como comecei cedo demais, de alguns me lembro pouco do enredo...rsrs É sempre um prazer vir aqui,beijos

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Eu conhecia o autor só pelo nome, nos meus tempos de escola (de orientação chatólica) a gente não podia ficar falando dele rs, não sei pq.
Agora, esse livro da Ana Miranda, eu não conhecia. E parece ser muito interessante. Vou à caça dele rs.

bom dia, Jussara!

M. disse...

Não conhecia. Agradeço este primeiro passo:)

Misturação - Ana Karla disse...

Jussara, sou grande admiradora sua, pois as dicas e lembranças que trazes, para alguns( como eu) é mais uma coisa boa, uma novidade que não tive a oportunidade/interesse em conhecer no passado.
Vou anotando para que um dia possar comentar com você.
Xeros

Luma Rosa disse...

Fui uma exceção, então!! Mas não por mérito meu. Eu tinha uma professora maravilhosa que dava aulas com tanto entusiasmo que era difícil alguém da turma não se interessar! Este livro é muito bom e a Glorinha lembrou muito bem do Jabuti. Ficou bastante tempo na lista dos mais vendidos, além de ser publicado em vários países. Ele se tornou bastante popular na época, o que é foi muito bom. Tenho visto muitos livros ruins em lista. "O Retrato do Rei" também é muito bom, mas não tão bom quanto "Boca do Inferno", considerado um dos maiores romances em língua portuguesa do século XX. Também gosto dos trabalhos de Ana Miranda como atriz. Excelente indicação de leitura!! Beijus,

Fatima Valeria disse...

Oi Jussara!
Quando li seu post, tirei do rascunho algo que estava adormecido...publiquei no meu blog, pode até ser um diálogo entre blogs rsrsr. Bjs
(http://expressaempalavrasearte.blogspot.com)

Anônimo disse...

Olá Ju
Gente, não me lembro não. Provavelmente por ser obrigação "chatólica" como disse o Alê.
Mas, como digo sempre, com a sua narrativa dá até vontade. Mas acho que desse vai passar logo rsrsrsrsrs
beijos
Macá

Drixz disse...

Eu sempre adorei o Gregório de Matos, mas esse livro da Ana Miranda tá na lista já para quando eu voltar ao Brasil.

Bjaum!

Mônica disse...

Ju, sempre gosto de ler os poemas de Gregório quando os encontro por ai, por ai não, pois eles estão sempre bem escondidos,kkk Já os Sermões de Padre Antônio Vieira, este eu fugo léguas, kkk.no entanto seria um prazer ler este livro de Ana mirando, já tinha ouvido falar, mas nunca nem cheguei perto dele. Foi muito bom ler seus comentários sobre este livro, pois vou incluí-lo na minha lista.
Beijos

Rogério Pereira disse...

"Gregório de Matos, o Boca do Inferno, eu, você e todo mundo passamos por ele..." deste lado do mundo poucos terão ouvido falar dele. E é pena. Até pelas parecenças, quer da poesia quer do perfil que dele traça, com o "nosso" Bocage. Mandar-lhe-ei por mail algo sobre esse poeta luso, como é meu uso... Boa?

mEU mundiNho LOUcO disse...

Boa noite, Querida:

Você é uma criatura incrível!!!!!!!!! Sem palavras para suas postagens.

Beijossss!

Daniel Brazil disse...

É curioso, mas passada uma década da leitura a lembrança deste romance se esvaneceu em minha memória. Não é apenas a idade (também é, eu sei), mas não me marcou tanto assim. É boa leitura, claro, muito acima dos best-sellers de ocasião.

Imprensa na rede disse...

Meu nome é Tatiana Dias e trabalho para uma empresa de Comunicação e Marketing, na Espanha. Gostaria de saber se te interessa colaborar com uma campanha de publicidade de um site de classificados gratis no Brasil. Pagamos 25 euros por PayPal pelo trabalho.
Se está interessada na proposta, não deixe de entrar em contato comigo em este mesmo e-mail: tatiana.segala@gmail.com
Atenciosamente,
Tatiana A Dias