quarta-feira, 4 de maio de 2011

Não sou vadia, não!

Eu não tenho por hábito escrever posts pessoais, até porque sou tímida e não sei   bem o que escrever, gracinhas da neta? Ela é linda, é minha e sou coruja, mas tem mil outros blogs que falam de gracinhas de criança. Do meu dia-a-dia? Ele não é interessante pelo simples motivo que é igual ao de todo mundo, trabalhar, malhar de vez em quando, ler, passar por aqui e pelos blogs dos amigos. De receitas? Deus me livre, detesto panela e se pudesse nem queria  saber onde é a porta cozinha. De artesanato? Gosto de bordar, costurar e etc. essas são atividades que me dão prazer, beeeem de vez em quando. Só sobram os livros mesmos. No entanto gostaria de compartilhar com  vocês  uma descoberta que fiz nessas últimas semanas.
As palavras, todas que estão no dicionário, podem ser usadas por todo mundo, ou seja,  qualquer boca pode falar, se elas serão usadas com propriedade ou não, isso não é culpa da palavra mas de quem a pronuncia.As palavras têm peso e medida, depende de quem as usas e como as usas, as coitadas não tem nada  com isso. Quando escolhi o nome do blog “palavras vagabundas” a intenção foi guardar lembranças  das minhas leituras, ou seja, as palavras aqui não seriam para se levar muito a sério, não faço resenha de livros (pelo menos não o que se conceitua como resenha), não faço crítica literária e  muitas vezes sequer conto a historia, falo dos sentimentos que a leitura me despertou e muitas vezes do porque desses livros virem a minha memória no momento da postagem. Quando abri o blog ganhei de presente do meu irmão um poema que diz melhor o que penso das palavras.
Gente que enrolação. Calma eu chego lá! Nunca nem em sonho ou pesadelo eu pude supor que as pessoas têm preconceito com as palavras, mas elas têm, pasmem! Há algumas semanas conheci pessoalmente algumas blogueiras, foi um encontro ótimo e interessante, por acaso eu só não conhecia o blog de uma,  entre as outras algumas me conheciam, pois já deixei comentários (assinados como todos sabem) mas não conheciam meu blog. Eis que ao nos despedirmos uma delas, mais faladeira ou mais honesta me disse  que iria ao meu blog apesar da palavra “vagabunda”, como assim? Me pus a pensar, é verdade muita gente deve pensar: o que essa mulher, que deve ter um blog de putaria, veio fazer no meu blog que fala de vida, ou artesanato, ou esmalte, ou (até) receitas e etc. Dura constatação!
"Vagabundo(a), em latim vagabundus, -a, -um,errante. Que tem a vida errante, que vagueia,  nômade. Que ou aquele que não tem uma ocupação ou  não faz nada, ocioso. Que é pouco constante, inconstante, volúvel. Bras. Reles, ordinário, de má qualidade." Eis a definição do dicionário e nela não consta a “profissão mais velha do mundo”. Por curiosidade fui à estatística do blogger, aí a coisa fica mais feia, muitos me acessam através da palavra vagabunda, aparece coisas como  “comendo  as vagabundas”,  “vagabundas da cidade”, “só as vagabundas”... há um que eu ri muito, pois meu blog estava linkado  em um site entre vários  cheios de vagabundas, o blog aBUNDAncia de vagaBUNDAS este pelo menos achei criativo, não entrei mas vocês imaginam o que seja, bundas...rs
Bem, agora quando eu acesso um blog novo e deixo um comentário, sempre peço em PS: O blog é de literatura não tenha preconceito!  Sou capaz de escrever isso até abaixo de um post contra o preconceito, nunca se sabe. Quero de público agradecer todos os meus seguidores  que não tiveram preconceito e acreditam que palavras, são apenas palavras e tudo depende da maneira que elas são usadas. Beijos (honestos) a todos!
"O preconceito é uma opinião não submetida à razão." Voltaire
IMAGEM
A imagem é da Google e mostram a flor Maria-sem-vergonha.

51 comentários:

Juliana Galante Magalhães disse...

Jussara!

Primeiro: EU ADOREI VER SUA FOTO! A GENTE CONVERSA COM UMA PESSOA E COMEÇA A TER UMA IMAGEM FÍSICA DELA E PODER VER DE VERDADE É MUUUUUITO LEGAL!

SEGUNDO: EU VAGABUNDA, TU VAGABUNDA, ELA VAGABUNDA, NÓS VAGABUNDAS, AMÉM!

BEIJOS VAGABUNDOS

V.Cruz disse...

Fabuloso!
Eu também sou "vagabunda" de carteirinha...vago, vago, vago...rs
menina, de qualquer forma, adorei!
Ahhh, mas mudando de assunto, eu li a palavra neto?Ando sempre de babador e homengeio o meu sempre que posso...
bkss uerida, vou blogar(avagabundear) mais um pouquinho..rs

Pandora disse...

Oxe!!! Que viagem, nunca tinha passado pela cabeça esse conceito de vagabunda associado ao seu blog, nem quando vi o link sem ver o conteúdo!!!!

Oxe... kkkk Agora tou aqui rindo... Fazer o que Jussara, é o que dá ser alternativa rsrs...

Ah, já que vc falou da sua forma de falar de livros, eu acho seu jeito super pós-moderno, meio linguagens alternativas no ensino de história, meio lirico, nada preso em uma formula fechada de escrever, não me lembra nunca as chatas resenhas presas a normas e padrões. Você me lembra uma professora de história contemporanea que eu tive, ela usava literatura para falar de história, era a melhor aula, era uma viagem, sempre quis te dizer isso, agora disse!!!

Macá disse...

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
Adorei o seu texto. Criativo, engraçado e ao mesmo tempo, sério. Nunca, jamais, em hipótese alguma me passou pela cabeça que alguém pudesse pensar alguma coisa diferente das suas Palavras Vagabundas, que não fosse literatura. Juro!.
Bom, mas agora já está explicadinho, certo?
beijos
PS: Muito bom você ter colocado uma foto.

Borboletas nos Olhos disse...

Querida, eu vim ao seu blog POR CAUSA do nome e não apesar dele. E eu adorei ver a foto \o/

Guará Matos disse...

Querida amiga a estupidez e ignorância são irmãs siamesas.
Têm pessoas que fazem cocô e acreditam que estão expelindo adubo cósmico. Urinam e juram que praticam irrigação benta.
Haja saco pra aturar gente besta assim!

Bjs.

yanne passos disse...

Jussara,

O que dizer destas palavras? Simplesmente vagabundas, maravilhosas. Interessante, que o meu primeiro contato com o seu blog foi porque vi o link dele num local que eu sempre visitava e fiquei curiosa com as tais palavras vagabundas. Como gosto muito de palavras e eu acho que até as de baixo calão tem o seu valor dependendo da ocasião. Eu sou tão alucinada por palavras que todas as vezes que escuto uma que soa como música no meu ouvido eu vou no meu caderninho e a deixo registrada. Diferente do que você narrou,eu nunca imaginei que este blog pudesse ser de sacanagem, sei lá, acho que eu tenho um bom faro e senti na hora que a coisa era boa, por isto, vim, olhei, li e gostei.
Beijos.

Beth/Lilás disse...

Fala séééério!
E não é que pode ter mesmo alguém com uma cabecinha assim, preconceituosa?!
Mas esse negócio de procurar na internet pelo nome de algo, direciona para muitas besteiras e por isso você encontrou tantas.
um beijinho carioca

Juliana disse...

sou sua fã!
Nunca, nunquinha me ocorreu não gostar do nome do seu blog. Cheguei aqui justamente porque vi o link em algum blog, acho que no da borboleta, e AMEI o nome.
Segundo esse verbete, sou vagabunda de vez em quando.kkkkkk
Fotinhaaaa! Adorei!

Roberta M. disse...

Ju, olha que engraçado, em momento algum eu pensei na palavra Vagabunda, como algo nessa conotaçao, acho que estava em sintonia com vc e sempre achei interessante como, sei lá porque, esse título combinava com o blog, com sua proposta!! Preconceito é uma merda!! Opaa, é a inveja que é, bem ambos são rssss, beijocasss

VaneZa disse...

Rá! Até tu estás tendo que colocar a definição correta das palavras para ver se as mentes limitadas ou ilimitadas entendam o que você quis dizer. Sinceramente, pensei que essas coisas só aconteciam comigo e com a minha atual maré de azar.

Cuidado que é capaz de você ter que desenhar caso alguma pessoa ainda não entenda. rs

BeijoZzz

Lufe disse...

Nunca, em momento algum, passou pela minha cabeça outra conotação para “palavras vagabundas” a não ser uma prosa despretensiosa, uma bate papo tète a tète, um texto sem pretensão erudita, um bate papo entre amigos ou outra coisa que o valha.
Não visitar um blog porque no seu nome consta a palavra vagabunda é o cumulo da ignorância, que me perdoe quem assim o considera.
Considero preconceito de minha parte criticar uma pessoa por não visitar o seu blog pelo nome. É direito dela. Porem sou realmente preconceituoso, e muito, quando se trata de preconceito contra a ignorância.
Será que elas não assistiram também aquele filme pornô “ A Dama e o Vagabundo”?
Será que confundem vagabunda com bundavaga?
Confundem “palavras vagabundas” com “palavreado de vagabunda”?
Eu acho este nome extremamente criativo e combina perfeitamente com seu conteúdo.
Textos de prosa, ricos em conteúdo, diversificados, inteligentes, recheados de uma cultura natural, sem nenhum pedantismo.
Minha querida amiga, este pessoal deve conhecer bem uma frase de quem deve ser um ícone deles, o Ibraim Sued: “Os cães ladram e a caravana passa”.
Siga em frente com a sua caravana, vagabundeando pela literatura de qualidade com as quais sempre nos brinda.
Continuo “vagabundo” de carteirinha e seguirei vagabundeando sempre por aqui.
Desculpe-me utilizar seu espaço para tecer criticas a estes atos preconceituosos, mas sinceramente não resisti e me senti na obrigação de lhe prestar solidariedade.

Um grande beijo.

Angela disse...

Que legal, Jussara! Quando entrei pela primeira vez aqui, nem me passou pela cabeça o tal preconceito pela palavra. Adoro visitá-la!
Quanto a cozinha, eu também nao sou chegada à ela,rsrsrs!
Beijos e um ótimo dia.

Adriana Alencar disse...

Como as pessoas podem pensas diferente sobre um mesmo tema... Quando vi o título do seu blog, achei tão bem bolado, tão moderna, radical, desafiante, que pensei que você era jovem, talvez alguém que ensinasse literatura ou fosse apaixonada por ela. Hoje, ao me deparar com a sua foto, confesso que fique surpresa, mas de modo agradável, pois vi que mantém um espírito jovem, o que é algo admirável, e um dos meus objetivos de vida e algo que busco atingir através do blog também. Não sei a idade dessa blogueira que fez esse infeliz comentário, mas ela é exatamente o contrário de tudo isso, velha de espirito, retrógrada, não só ignorante do significado da palavra vagabundo mas também incapaz de compreender o contexto do título do blog que, ao meu ver, é muito bem colocado e extremamente criativo.
Beijo
Adri

Cintia Branco disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cintia Branco disse...

Acho o nome do seu blog tão perfeito. Nem leva em consideração as estatísticas, descobri que duas das palavras que mais levam ao meu blog são cobra e minhoca. Eu com a cobra e com a minhoca e você com a bunda, rs.

Mas agora falando sério, acho o nome poético, sinto a liberdade das palavras no ato de vagabundear, mas pensando bem, creio que essa é uma questão pessoal, bem de criação mesmo, afinal fui criada num universo em que vagabunda era somente aquela que vaga pelo mundo. Um sentimento de liberdade almejado por mim, vagar pelo mundo, quer coisa melhor.
Beijos

Mônica disse...

Oi Ju, estamos vivas e por isso todos os dias teremos a nossa cota de indignação. Mas essa agora?!!
Não estou lembrando agora como encontrei seu blog, mas a palavra vagabunda sempre está presente em mim quando eu o acesso. Tenho uma atração pessoal, íntima até, por palavras e o uso delas, e este adjetivo que você deu a ela é extremamente atraente, expressiva, chocante.
Muito bom seu texto, seria um problema se você não fosse tímida e gostasse de escrever sobre si, kkkk
Parabéns pelo blog e pela magnífica ideia do sugestivo nome, beijos

Giuliana: disse...

Oi Jú,

Incrível a facilidade que muitas pessoas tem de sempre interpretar as palavras na sua conotação pejorativa. Desde que conheci seu blog jamais interpretei o nome dessa forma, pelo contrário, talvez tenha entendido de imediato a sua proposta.

Então, deixemos os desacreditados de lado, e continuemos vagar pelas palavras através do seu ponto de vista, do seu blog.

Beijos

Pentacúspide disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rosa Lopes disse...

Em pensar que tem gente no mundo pudica assim me faz rir. Como eu não acredito, mais ainda eu riu.
P q será que isso me lembra N. Rodrigues? A mocinha com cara de santa que no fundo é uma devassa kkkkkkkkkkkkk.
Querida o post não é sobre literatura, mas tem tudo pra um cordel.
Bj

Cinderela Descaída disse...

Ora veja só! Muito divertido isso. Por mais que se viva, não se vê de tudo!
Imagina a decepção dos tarados ao entrar no teu blog? O único que tem alguma chance de se interessar é aquele que gosta de Nabokov e da Lolita (que é um livro tristíssimo, por sinal).
Um beijo!

Nilce disse...

Oi Jussara

É para rir né?
Jamais acharia que alguém pensasse assim, pricipalmente pela junção das palavras.
Que doideira!
Fazer o quê? Tem gente prá tudo.

Bjs no coração!

Nilce

Rogério Pereira disse...

Olá Jussara,
Venho lhe trazer "um escondidinho de carne seca" trazendo ainda o sabor de um pastel de bacalhau que recebi num botequim canarinho, refúgio para canções e poemas, num dia de celebração da nossa lingua comum, a portuguesa (que não me importaria de lhe chamar brasileira. Nem eu, nem Pessoa, nem mesmo José Saramago).

Sobre o seu blogue? Um ás. Falar de livros é sempre necessário e falar das palavras também. Delas e do significado do espaço que há entre elas. Pode dizer (ou pensar) que-não-é-bem-assim. Mas é. A arte está na frase e no que fazer com ela. Vangabunda? Ah, minha amiga que seria de Pedro Alves Cabral se não vagabundeasse?... que se seria de mim próprio se não fosse caminhante?

palavrasdeumnovomundo disse...

Oi Jussara
Confesso que quando tive contato pela primeira vez com o nome do blog fiquei curiosa, mas não com esse preconceito babaca que relatou. Ocorre que como meu blog também tem no título "palavras", quis logo descobrir que palavras eram essas que postava em seu blog e me encantei pela postagens sobre as leituras.
Logo, fiz minhas deduções sobre a escolha do título e agora descubro que não errei naquilo que imaginei.
O título é original, tem tudo a ver com seus objetivos, por isso esqueça essa bobagem e siga em frente querida.
Bjs

Glória Maria Vieira disse...

Juh!
KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
Que resenha da poxa! Olha, eu nunca levei o nome do seu blog, ou melhor, o adjetivo "vagabundas" como algo ruim em se tratando desse espaço aqui. (Muito delicioso por sinal!) Sempre levei como algo muito criativo...
Mas enfim, há preconceito pra tudo nessa vida infelizmente, né?!

Beijo, sua linda! Eu que fico agradecida. E, olha, deveria escrever mais vezes sobre você, sua vida. Adorei o poste de hoje, adorei mesmo!

Anne disse...

Eita, sabe que eu nunca tinha pensado por esse ângulo? Vai ver que foi pq o termo "Palavras Vagabundas" me lembrou exatamente literatura, ou um diário pessoal, sei lá...

Que viagem... rsrs Mas foi ótimo ler um post mais pessoal seu, e tbm foi ótimo ver sua foto ali!!! (concordo com a Juju)

Beijooos!

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

nem sei o que dizer...mas sério, cai pra trás ao ler o texto! apesar q aqui nada tem de palavra vagabunda, ao contrário, são ótimas palavras, nada ordinárias.

se servir de consolo, uma senhora visitou meu site e ficou aliviada. Pelo nome, ela pensava que Lost in Japan fosse um blog sobre drogas (LSD, como ela pensou isso não sei)...e que eu era muçulmano, hahaha.

cada uma...

bjs e amo tudo isso aqui.

A. Marcos disse...

Toda e qualquer pessoa tem algum tipo de preconceito. Isso é natural.

Mais ainda quando estamos falando sobre palavras, afinal as palavras trazem em si mesmas algum "conceito".

Pior fica quando a palavra não é "unívoca", ou seja, é "equívoca" por comportar mais de um signficado.

Ocorre que essas palavras são utilizadas corriqueiramente para expressar um de seus siugnficados, culmina por trazer do inconsciente a imagem inspirada pelo "pré" conceito.

Até aí, bem. O duro é que as pessoas são limitadas não somente pela falta de consulta à razão mas, muitas das vezes, pela pouca amplitude de sua própria razão.

Bjs.

Edlena Franklin disse...

Jussara:
Palavras são chaves para o entendimento(ou não). Depende de quem as escreve/profere, como você mesma disse. Quando vi o título do blog pela primeira vez, só pensei em coragem, em ousadia. Alguém está se expressando por aqui, e é fora dos padrões... Nada bonitinho demais, apenas opiniões sinceras de quem dá valor às palavras, às boas leituras.
Gostei da foto! ;)

Fatima Valéria disse...

Jussara! Vc não me conhece e nem sei se visitou meu blog (http://expressaem palavrasearte.blogspot.com), devo dizer que sou assídua leitora de seu blog, muito me agrada a maneira como vc escreve e sobre o que escreve, abrindo sempre horizontes novos e velhos. Desculpe manifestar minha opinião se entendê-la de forma contundente: depois de "tudo de lindo" que vc escreveu, não tem que se justificar para ninguém, nem por PS: informando q o blog é de literatura, azar de quem não ler rsrsrs e perder as coisas maravilhosas, os livros, os comentários...Bem, nem vou refletir sobre a liberdade, a licença poética e a não censura daquilo que chamamos de arte. O não entendimento tb faz parte, afinal há vários níveis de consciência. Que suas palavras continuem sempre vagabundas, vagando por esse mundo virtual, e essas andarilhas levem com elas a imensa alegria de serem lida. Abração

Elaine C Chieppe disse...

Oi Jussara, quando vi seu blog quis te seguir justamente por causa do título. Achei inteligente, inovador e não por um sentido pejorativo como muitas pessoas pensam e saem clicando nos sites de busca. Seu blog é maravilhoso e tem conteúdo. "Palavras vagabundas" um título que me passa a sensação da liberdade de palavrear. Seu blog é lindo e encantador. Ignore quem pensa de outra forma porque não merece estar entre suas palavras. Bjos Elaine.

Deusa disse...

kkkkkkkkkkkkkkk,a gente sempre acha que nossa vidinha não e la uma história.....uma coisa extremamente interessante,no entanto linda,e muito bom quando a gente troca experiências,fala,ouve,vê que somos todas iguais,comosmesmos medos e alegrias...sua vida,seu blog.
Eu quando vi seu comentario pela primeira vez e li o nome do blog,pensei em *palavras ao vento,ou palavras livres,sem limeites de assuntos*,nada nem parecido com algo que não fosse normal,e me surpreendi em conhecer vortualmente uma mulher inteligente,curiosa e cheia de opiniões.Com você eu aprendi a ler e tentar pelo menos emitir minha humilde opinião,sempre que ouço falar em algum livro que não conheço já penso logo...Já sei pra quem vou perguntar...rsrsrsrs.
Voçê é uma pessoa adoravel...relaxx...
Deusa
vasinhos coloridos

Inaie disse...

querida, vim visitar o seu blog exatamente pelo nome. Achei ultra sugestivo, super interessante e intrigante. Fiquei imaginando palavras sem compromisso, fluindo sem censura, sem editores pentelhos ( ai meu Deus, pode falar penntelho em blog alheio??)

Nunca relacionei vagabunda com nada do que a sua nova leitora blogueira relacionou - achei que vagabunda estava mais pra "preguicosa, sem compromissos e sem obrigacoes, mais relaxada ( ja vao achar que e desleixada), tranquila".

Vai ver nao entendi nada, ou na verdade entendi foi tudo!

Jussara seu blog e tudo de bom. E fala sim da netinha. Gracinha de crianca nunca e igual e da crianca alheia...

Beth/Lilás disse...

Oi, Jussara!
Um lindo e feliz dia das mães com suas filhotas e família!
bjs cariocas

Lufe disse...

Parabéns mamãe!

bjos

Christine disse...

Oi Ju... morri de rir agora e fiquei boquiaberta. NUNCA passou pela minha cabeça que alguém pudesse deixar de visitar seu blog por conta do titulo, até pq de outra forma a palavra poderia ser vagabunda, senão na forma de vaguear pela imaginação, de não ter compromisso. Mas junto com o preconceito, me desculpa a sinceridade, vai um pouco da ignorancia das pessoas sobre a nossa lingua. Ok, ela realmente é complicada e cheia de muitos significados e acentos e pontuações que podem mudar tudo... mas um pouco de sutileza na leitura deixaria tudo mais simples, né?
Minha querida, vou assinar em baixo do que a Fátima escreveu (pq ela é minha amiga de longos anos e sei até o que ela pensou e não escreveu...rs), não justifique. O seu blog, a sua maneira de escrever e nos encantar vale tudo!
Azar de quem tem pre-conceito! :P
Beijo enorme e feliz dia das mães... o meu já está no final!!!

Adelaide Araçai disse...

Jussara, amei o assunto de hoje, pois eu adoro nossa língua portuguesa e suas formas dúbias de falar. Aqui lemos muito e escrevemos bastante, por vezes falo a minha filha sobre texto pequenos (textículos) e ela ao responder usa a palavra textozinho...rsrs (- Mãe se eu falar textículo na sala serei motivo de piada o resto da vida...rsrs) Creio que a malícia vem da mente de cada um.
E olha vendo a origem dos acessos ao meu blog também não foi algo muito satisfatório, quando coloquei o nome, eu o fiz na maior inocência....rsrs
Mas, o que vale é que aqui temos um espaço maravilhos onde as palavras são vagabundas mas são direita....kkkk
Feliz dia das Mães.
Abraços

Teresinha Ferreira disse...

Olá Jussara,
Primeiramente... Feliz DIA DAS MÃES!!!
A d o r e i seu post... Muuuuuuuito!!!!
Se algumas pessoas tem preconceito com as palavras, fico imaginando com o resto. Ai ai ai.
Independente de qualquer título de blog, livro, revista etc., temos que estar abertos as diversas palavras vagaBUNDAS, né???rsrs.
Quanto mais eu vivo, eu chego a conclusão que pessoas cheias de não me toque, aquelas bem pudicas, gostariam mesmo de extravasar, mas só ficam criticando e julgando os outros.
Tudo de bom.
Bjs mil

Juliana Galante Magalhães disse...

Jussara
Deu tempo! Ainda é o domingo do dia das mães e eu não poderia deixar de vir te dar um beijo e o abraço mais apertado que você puder sentir.
Você mora no meu coração!
Amo você e ponto final.
Juju

Lúcia Soares disse...

Só rindo, né?
E você foi ótima na maneira como contou o "causo".
Também vou vagabundear por aí, esta semana, pois que minha netinha viajou hoje e só volta daqui a 15 dias. Haja coração pra aguentar a saudade!
Beijo e boa semana!

Ro disse...

Juuu , ri muito.
Essa pessoa PRECISA ler seu blog todinho.
Quem sabe ela se empolga pra ler alguns desses livros maravilhosos q vc indica e isso não ABRE a cabecinha dela?
No minimo iria melhorar o nivel de suas piadinhas.
kkkkkk
E no google , meu blog bomba na procura:
Gatas peladas e peludas.
Que decepção pra quem procura...kkkk
Milhões de beijos

O Guri disse...

Somos todos uma tropa de vagabundo! Não é legal isso?
Eu li apenas o primeiro comentário do texto (esse eu li todinho) e digo que concordo com ele, aodrei tua foto. Gostei mais ainda de encontar um comentário seu no meu cantinho. Imagina, alguém importante e com experiência em escrever elogiar alguém como eu que está só começando ...
Fico tão feliz ...

http://umgurientregurias.blogspot.com/

Renata C., UMA EXPATRIADA (esposa, mae, mulher...) disse...

ADOREI TODA ESSA HISTORIA!!!! KKKKK!
IMAGINE!!!
ISSO AQUI E' PURO "CONTEUDO",NE' LUMA? (YES, LUZ DE LUMA!).
EU ADORO SEU BLOG! VAGABUNDAS? PALAVRAS GOXXXTOSAS!
;-)

Celia na Italia disse...

Ju
Estou pasma com esta história do preconceito com o nome do blog.
Este lugar é lindo e tem uma aura muito boa.
Venho sempre que tenho um tempinho.
Um abraço e não te deixa abater :)

Monica™ disse...

Muito apropriado seu post. Realmente as palavras não tem culpa da forma como a usamos. Assim como ignorante e biscate, duas q me vieram a mente agora, são usadas muitas vezes de forma inadequada. Beijo. Adorei ver sua foto !!!

pensandoemfamilia disse...

Oi Jussara
É fato há muitos (pre´) conceitos. Buscar no dicionário é uma atitude muito interessante neste seu caso, mas há outros que se as pessoas darem tempo para escuter e ver muitas questões seriam relagadas a segundo plano. Enfim,é a vida
bjs

Renata C., UMA EXPATRIADA (esposa, mae, mulher...) disse...

Adorei toda essa confusao! Ja' pensou? Eu nao tinha pensado nisso, e sempre gostei do titulo do BLOG... kkkk!

E, nao disse antes porque esqueci: gostei de ver sua FOTO! E' bom ver a carinha de quem a gente conversa sempre, ne'?
Bjs!

Larissa, Lara, Lalá, .... disse...

Jussara
Adorei seu post!!! Voce e' igual a minha mae, odeia as panelas, por ela, como voce, nunca entraria na cozinha!!! hahahahah

Quanto a conotacao das palavras, vc tem razao. Quer palavra mais bonita que "amante" e e' usada de maneira tao pejorativa.

Beijos

Daniel Brazil disse...

Muito bom comentário!

Fábio Brazil disse...

Ju, estava passando por aqui, gostando de tudo... e pimba! Topei com esse "pudor de palavra" explícito. É engraçado esse tipo de pudor, afinal, toda palavra é em essência meio vagabunda, para que seja palavra!
Palavra, tem que ser pelo menos de dois! É, só é palavra se for de dois, pelo menos de dois, senão não é palavra, é ruído.
Beijo grande, Fábio.

Nana disse...

amei seu texto! E ri um bocado também. Cheguei aqui ao ler um comentário seu num blog estrangeiro que sigo, achei interessante o nome "palavras vagabundas" e gostei demais de todo o blogue, passei horas para ler sua opinião sobre livros que também li, poucos, comparados com sua biblioteca.

abçs