sexta-feira, 29 de abril de 2011

Onde é o paraíso?

Os Degraus do Paraíso, Josué Montello

Este é um dos livros mais belos que já li e também um dos mais bem escrito em língua portuguesa. O romance se passa todo em São Luís do Maranhão, bem no comecinho do século XX, mais precisamente em 1918. A São Luís descrita ainda é uma cidade pequena e provinciana, mais ligada à Europa que a distante capital do país, pois ali aportavam os navios que se dirigiam a Manaus e a riqueza da borracha. Uma cidade com seus casarões e seus azulejos portugueses, suas ladeiras e seus becos, onde todos se conhecem, o médico da Santa Casa, os padres da igreja, os comerciantes e a dona do bordel, onde acontecem as festas de largo, o carnaval e o natal. Certo! Todo mundo já leu isso, mas tenho certeza que poucos leram tão bem descritos e principalmente em São Luís.
É um romance religioso ou como o fanatismo religioso pode destruir uma família, o paraíso do título é o Paraíso Celeste. Um fanatismo religioso que não tem medida, pois a personagem principal, Mariana, é uma fanática católica e depois da perda do filho passa a ser uma fanática protestante. Pode até ser uma heresia de minha parte, mas para mim Mariana jamais subiu os degraus do Paraíso, por que não tinha alma. Ela destrói o próprio casamento, em que pese que seu marido não fosse assim uma flor que se cheirasse, mas era um homem de sua época, destrói a vida das duas filhas Morena e Cristina. Cristina sai pela porta da frente sem um adeus e vai para um convento. Morena é mais cordata, mais sentimental e passional em tudo, inclusive fisicamente, se parece com o pai. A mãe a odeia e a persegue de variadas formas, todas sutis, e sempre dizendo que só quer o bem dela e sua salvação. Ah, sei! Numa cidade altamente católica em que a vida é regida pelas festas religiosas, Mariana se torna uma protestante fanática, intransigente e amarga, perde os amigos (se é que os teve) e fica cada vez mais isolada. Morena sofre, está só pois a irmã partiu, a mãe a tira do colégio em que estudou a vida toda e coloca professoras particulares para que ela não saia mais de casa, proibi que ela veja o pai (aquele filho de Satanás). A vida continua a acontecer, Morena só olha para ela por detrás das janelas e somente quando a mãe não está por perto; passa o corso de carnaval, as pastorinhas de Reis, as festas de largo, a visita ao Presépio da Catedral com este Morena só pode sonhar e lembrar do Presépio do ano anterior. Morena se revolta, mas é uma revolta culpada e sofre.  A construção dos personagens é soberba, o Padre Galvão, o Dr. Luna, reverendo Tobias, a empregada Cipriana, a enfermeira Abigail e tantos outros que por lá aparecem, mas...  de todos, bem poucos subiram os degraus do Paraíso.
Gosto muito do selo que está aqui bem ao lado,”Quantos escritores brasileiros tem na sua estante?”, eu não sei quantos mas tenho certeza que provavelmente não terá Josué Montello. Por que apesar dele pertencer a Academia Brasileira de Letras desde 1954 e de ter escrito mais de 100 obras, nunca foi best-sellers e nunca foi muito popular, foi muito festejado entre seus pares e recebeu inúmeros prêmios mas o grande público nunca foi devidamente apresentado a Montello. Nunca vi uma novela ou filme baseado em suas obras, nunca o vi na lista de livros para o vestibular, aliás em uma lista de “100 obras brasileiras que devemos ler” que me passaram, ele não está, o que me faz desacreditar de qualquer lista do que devemos ler, mais uma vez. Josué Montello tem uma escrita límpida, fácil de ler e que nos leva longe, eu com certeza o trarei mais vezes por aqui e se você se deparar com um de seu livros por aí, não deixe de ler.
"Podemos escolher o que semear, mas somos obrigados a colher aquilo que plantamos" Provérbio chinês

SOBRE O AUTOR
Josué de Souza Montello (1917-2006) – jornalista, professor e escritor maranhense, ocupou a cadeira 29 da Academia Brasileira de Letras, publicou Os degraus do Paraíso em 1965, atualmente sua obra é editada pela Editora Nova Fronteira.

29 comentários:

Guará Matos disse...

O paraiso é na mesa de um bar, choppe gelado, companhia da boa, bate papo maneiro e no final tudo ser de graça... Cortesia, hahaha!

Bjs.

Nilce disse...

Oi Jussara

Realmente, nem na Faculdade ouvi falar deste autor.

Excelente final de semana.

Bjs no coração!

Nilce

Pentacúspide disse...

Eu também não conheço, mas eu não conheço 95% de autores lusófonos, pelo menos em termo literário, porque conheço os seus nomes e alguns títulos que escreveram, e do 100% do meu universo literário 97% são estrangeiros (não lusófonos, perceba-se.

M. disse...

Não conheço...Mas pelos vistos outros daí também não. Ser best-seller nunca foi critério para mim...E se é, é para excluir:)

Se o consideras um dos mais belos...E já te conhecendo...Vou tentar comprar:)

M. disse...

Agradeço as informações extras:) Vou ver se está publicado por cá...Vou ler...Depois presto contas e ajustes....lol

Roberta M. disse...

Ju, tb nao conhecia!! Que bom ter uma amiga porreta e bem informada no mundo literário prá nos dar dicas incríveis!! Tá na lista!! Meu marido vai gostar!! beijocassss

Ivan disse...

Poxa vida, não conhecia o autor.... sua descrição me deixou muito curioso, preciso ler algo dele urgente rsrs...
Abraço

Pentacúspide disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Lufe disse...

Para mim um ilustre desconhecido. E membro da Academia. Brasileiro com mais de cem obras publicadas....
Santa ignorancia.....rs

bjos

Adelaide Araçai disse...

Jussara, esse autor eu não conhecia, mas amei a forma como descreveu a trama toda...rsrs
Já te contei que eu tenho em minha agenda várias sugestões suas? a cada passeio por sebos ou livrarias lá vou eu em busca de uma ou duas sugestões suas...rsrs
Tenha um ótimo final de semana
Abraços

Cintia Branco disse...

Ju,

Ah, mais um que não conheço, estou me sentindo a anta, preciso parar de tirar fotos do colo e começar a me dedicar a leitura de obras "decentes", kkk.
Comprei para a participação do Felipe na Ciranda dos Pequenos Leitores, a obra Fábulas de Esopo, da Ruth Rocha, da sua listagem não achei nada por aqui e iria demorar quase um mês para chegar.
Ele adorou o livro, eu fiquei um pouco preocupada, as histórias são reflexivas e fortes, fiquei em várias saias justas, sofri, e decidi que quem terminaria de ler com o filhote é o Mestre Branco, hehe.
O problema é que o filhote gostou tanto do livro que não quer enviar, kkk. Eu mereço!
Grandes beijos e ótimo final de semana

Zuleide Felisberto disse...

brigada Jussara, adorei seu blog, adoro leitura! bj

Mayra Di Manno disse...

Ola Jussara,
Não conhecia esse livro. Mas com certeza deve ser barbaro... Quando puder vou ler!
Um beijo,

Ju Ramalho disse...

oie amei esse cantinho!! Eu amooo leitura, cultura etc! Sou da área de educação!

Estou te seguindo!

Gostei muito de vc!

Se tiver TT me adiciona?

@juzzramalho

Luis Eustáquio Soares disse...

o cânone ou os canonizados o sao segundo uma linha de força que, que é também econômica, razão pela qual o modernismo paulista, com a semana de arte moderna de 22 é que emergiu como centro irradidor e é igualmente por isso que os autores que não pertençam ao eixo sudeste encontram muro e bloqueio, e não são lidos pelo brasil.
b
l

Angela disse...

Olá Jussara, o livro deve ser lindo! Eu nunca ouvi falar deste autor e olha que estudei muito literatura. Beijos e uma ótima semana. (obrigada pelas dicas maravilhosas de livros, também adoro ler. Agora a minha literatura preferida é a alema).

Fernand's disse...

não conhecia...
obrigada pela dica.



bjsmeus

Anne disse...

Tbm não conhecia! Mas como "Palavras Vagabundas" é um luxooo, agora conheço! rs Só falta ler a obra, será que é complicado de achar?

Ju, querida... Sei que Edu tá tendo MESMO uma tremenda cara de pau, mas acredite: ele só terá uma chance se tiver explicações razoáveis, exatamente como vc disse.

Ainda não nos falamos, ficou só essa troca de mensagem por enquanto, mas tudo irá depender das respostas que ele irá me dar pra tanta pergunta.E da minha capacidade de acreditar nelas.

Obrigada por estar do meu lado, de verdade. Agora... é esperar.

Beijos, boa semana!

Luana disse...

Ai, tanta coisa que eu queria ler! Eu venho aqui e fico morrendo de vontade de comprar muitos livros.. Eu ate compro, mas não tenho tempo de ler tudo... Estou relendo um do Eça, mas me falta TEMPO! Buaaaaa!!

yanne passos disse...

Querida Jussara,

Depois de ler o seu post, dei uma olhada nas prateleiras do meu quarto e corri para pegar os livros do Josué Montello que comprei a R$ 5,00 cada, numa liquidação que uma livraria aqui de Fortaleza estava fazendo, infelizmente, só encontrei um, chama-se UM ROSTO DE MENINA, você conhece? A historia é linda. Eu adoro este autor e como acontece com os as pessoas realmente geniais, o reconhecimento público é caminho íngreme, a nossa literatura está cheia de exemplos.
Beijos e uma linda semana.

Beth/Lilás disse...

Hummmm, você tem toda razão, não conhecemos este escritor, mas considerando que best sellers não são lá grandes coisas, vide Paulo Coelhos da vida e A Cabana que não aguentei chegar nem na metade e vendem que nem água.
Pois, já fiquei interessada no Josué Montello e adorei sua resenha sobre o livro.
um super beijo carioca

Mônica disse...

Oi Ju, que vergonha!!!/0\/0\
Possuo centenas de livros brasileiros na minha estante ... nenhum de Josué Montello. Não conhecei este escritor.
Ai que ódio de mim:quantos grandes escritores brasileiros eu não conheço!
Mas duas coisas me consolam: não valorizo acadêmicos ( aquilo é política) e não me sinto atraída por best sellers. Ah, mais uma coisa me consola: ainda tenho tempo de ler Josué Montello e muitos outros que ainda não conheço, para isso conto com grandes leitores como você para me dar muitas dicas de leitura.
Obrigada, beijos

Drika disse...

Ola Jussara! Vim retribuir sua visitinha e conhecer seu cantinho que já amei logo de cara! adoro ler...
E quando voce fez a pergunta de qtos "autores brasileiros tem na sua estante", fui logo dar uma espiadinha na minha... apesar de ter alguns classicos, realmente a maioria deles não são brasileiros, e nem sei o porque da preferencia... Mas, agora fiquei tentada a conhecer Josué Montello... vou procurar dia desses... bjkas!

Carla Farinazzi disse...

Oi Jussara!

Parabéns pela resenha, você me fez querer começar a ler o livro agora! Não conhecia o autor, mas a sua descrição foi fascinante.
Já está devidamente anotado o nome, nos próximos dias devo fazer uma comprinha grande de livros, e ele estará incluído, assim como algumas outras dicas suas.
O que, desde já, agradeço!

Beijos

Carla

Florisbella disse...

Não conhecia o livro mas confesso que me deu vontade de ler rs

Beijos

Bsvox disse...

Jussara,
No teu blog temos sempre uma boa surpresa ... sempre fico instigadissimo a ler o que vc sugere ... me pergunto como ainda não li isso ... sobre o livro que sugeriu no post, fico me perguntando como as pessoa como a personagem fanática podem transformar Deus que é libertação e salvação em um peso e um claustro para si e para os outros ... Eu acho q palavras vagabundas é a antitese dos seus textos, para mim são palavras preciosas ... VoxBeijos

Valdeir Almeida disse...

Ótima indicação.

O romance, embora retratado no início do século passado, tem tema atual. Isso porque, infelizmente hoje se observa o fanatismo religioso, que agora se politizou e mercantilizou.

Abraços.

Aline M. Gomes disse...

Oi Jussara,
Josué Montello é um dos meus autores maranhenses preferido e claro ele é leitura obrigatória na cadeira de literatura maranhense na faculdade.
Indico também: Tambores de São Luís (livro imenso) & Cais da Sagração (ótimo!)
Ele tá na minha lista de autores regionais do DL2011, claro!

beijos

Anônimo disse...

http://achatcialisgenerique.lo.gs/ vente cialis
http://commandercialisfer.lo.gs/ acheter cialis generique
http://prezzocialisgenericoit.net/ cialis compresse
http://preciocialisgenericoespana.net/ cialis generico