quinta-feira, 17 de março de 2011

LENGALENGA
Rogério Pereira-
Cerveja beber
----------------sem álcool conter
Fumar, fumar
------------------------sem nicotina nem prazer
a acompanhar um café
sem cafeína
-----------------------------com adoçante
sem sequer com açúcar se parecer
Depois de comprar um diário
sem noticias para se ler
Chorar, chorar discretamente
sem as faces salgar
-------------------------------talvez por amar
sem receber nem se entregar
--
Os outros, ilhas sem mar à volta
Libertos sem poderem andar à solta
Ardem sem calor de arder
-----------------------------------------ou de ser
Outros ainda, socialistas sem idealismo,
cérebros sem nexo,
----------------------------e cismo
noutros que se manifestam sem manifesto
Revoltas,--------------------------
querem revoltas sem dar a volta,
como poemas sem qualquer sentido
Ah, esta cidadania sem povo comprometido
Tudo almas só por fora e sem espessura
Esperando o chegar da ditadura

Março 2011

O Rogério milita no conversa avinagrada sempre com pontos de vista crítico, boa crítica, sobre os acontecimentos do mundo, da vida e de Portugal. Ele também escreve um livro on line “Caminhos do meu navegar” sobre as guerras coloniais em Angola, confesso que já estou bem atrasada na leitura mas além das desculpas costumeiras, eu espero o ponto final para imprimir tudo e ler. Sou bem tradicional gosto de papel. O Rogério é presença constante por aqui, já me presenteou com um poema de Florbela Espanca e abrilhantou com Os Lusíadas meu post sobre Inês de Castro.
Às vezes a gente lê alguma coisa que nos atinge de tal forma que acabamos querendo que todo mundo leia, foi o que aconteceu com Lengalenga do Rogério.

21 comentários:

Guará Matos disse...

Rogério bateu com força nessa gente merda e cheia de filosofia de banheiro!

Bjs.

Pandora disse...

Todo mundo devia ler esse poema e refletir também!

Ah, ironicamente lembrei do Guará e de algumas discussões que ele pucha no blog dele a esse respeito, quando abro pra comentar cá ele aqui rsrsr... Mundo virtual pequeno!

Rogério Pereira disse...

Jussara,
Estou comovido.
Lêr esse meu poema, aqui.
Redobra-lhe o sentido
Passam a ser como as suas
Palavras Vagabundas
deste lada oriundas
cruzando um oceano de afecto

E como postar-me um poema
é coisa para ser agradecida
amanhã vou-lhe retribuir o gesto
com a devida gratidão
da minha alma, felíz e reconhecida

Lufe disse...

Muito bom o poema do Rogerio.
Como sempre questionador e instigante.
Obrigado por dividi-lo conosco.

bjo

Borboletas nos Olhos disse...

Obrigada aos dois. Fiquei mexida, mesmo, mesmo.

Um beijo, baby, obrigada por sua presença constante no projeto das mulheres ;-)

Tati disse...

Oi Jaci, fiquei bem curiosa sobre o Rogério e vou lá conhecê-lo, por que amei o poema! Mexe com a gente.
Beijos.

M. disse...

Bem interessante! Só no fim reparei que não era teu...

Mas podia ser, não podia?

lol

Cintia Branco disse...

Ju,

Gostei muito do poema, no final cheguei até me arrepiar. Falar em revolução já fico toda animada, rs. Sabe que uma noite dessas, estava procurando um romance em italiano para ler e estudar um pouco e acabei achando o Manifesto Comunista. Baixei e comecei a ler para Mestre Branco e azul a introdução, em italiano, no final do texto, eu estava já aos gritos e ele com os olhos marejados, kkk, tem cabimento uma coisa dessas?! Todo mundo louco!
Beijos, ótima sexta e ótimo final de semana

Giuliana: disse...

Oi Ju,

Que poema instigante de Rogério, nos faz sacudir as idéias. =)

Beijos

Paula Li disse...

Oi JU, passei para deixar um abraço e desejar um bom final de semana.
Muito interessante o poema do Rogério e o final é surpreendente.
Bjs

Cintia Branco disse...

Ju,

Realmente essa é a parte mais tocante do poema.
Grandes beijos, ótimo final de semana e obrigada por participar do sorteio.

Rogério Pereira disse...

Jussara
Já editei o post
está aqui e espero que goste
(promessas são feitas para cumprir...)

Adriana Alencar disse...

Versos criativos, bem humorados e, ao mesmo tempo, tão profundos. Amei!
Beijo
Adri

rouxinol de Bernardim disse...

Poema para meditar e distrbuír por muito lado... Há tanta falta d epoesia nalguns sítios...

Ni disse...

Oi, linda! Gostei muito do poema dele, mas prefiro os da Florbela Spanca: são mais intiminstas, na minha opinião, pelo menos os que conheço.

Adelaide Araçai disse...

Jussara, está "pílula" já desperta a curiosidade por conhecer um pouco mais sobre o Rogério, estou correndo até lá para ver mais.
Abraços

Flávia - Compartilhando Idéias... disse...

Olá Jussara!
Também fiquei impressionada com a inteligência desse poema. Vira e mexe me deparo com posts incríveis que tenho vontade de espalhar pelo mundo afora. Certamente este seria um dos meus também. Parabéns pela sensibilidade e parabéns ao escritor-blogueiro Rogério.

ps.: suas visitas e comentários sempre me deixam felizes, obrigada!

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Rogério é um dos craques, fera nas palavras, tem uma visão de mundo e de situação fantástica!
é o que encanta com consciência, as palavras que nos fazem pensar.

bom domingo pra vc, Jussara!
bjs

yanne passos disse...

Jussara,
Gostoso? Nã sei se seria o adjetivo correto para dar ao poema, o ritmo dele é que é gostoso de ler. E eu vou dizer uma coisa, se é pra mergulhar em alguma coisa que se mergulhe de cabeça, café descafeinado? que sentido faz? Adoçante ao invés de acúcar? Onde está o prazer? Cidadania? sem comprometimento, com subserviência. Definitivamente, se a entrega não for total, tudo não passará de lenga-lenga.
Logo que der vou farei uma visita ao blog por você citado, me pareceu muitíssimo interessante.
Beijos e uma ótima semana.

Iza disse...

Olá, Jussara!

Curiosa também sou e também já vi você por aí. Hoje vim visitar. Gosto de textos críticos e olhando na sidebar vejo que há muita coisa boa para ler.

Vi na sidebar que é uma ativista em defesa da criança. Gostei do que vi e li.

Um beijo!

Apenas um lugar para ser (Lis) disse...

Nossa Jussara, que poema verdadeiro, não é msm?

Claro que eu adorei! E já repassei a algumas pessoas q tb vão gostar mto.

Mto obg pelo seu comentário, sempre recebo com carinho suas palavras, beijos!