segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

De sábio e de louco

O Alienista, Machado de Assis



Machado de Assis é o sempre sisudo senhor de barba, o presidente perpetuo da Academia Brasileira de Letras (o próprio Dom Casmurro), é assim que quase todos nós o vemos, pelo menos em nossa fase de estudantes. Nossos professores tinham uma enorme reverência para falar dele e de sua obra. Sua obra é motivo de extensas e enormes teses acadêmicas. O Alienista pode ser um conto ou uma novela, os especialistas ainda não decidiram, mas enquanto eles discutem, vamos a essa divertida historia.  Onde todo mundo é louco, são ou sábio dependendo do sabor do momento.
Simão Bacamarte (a ironia já começa aqui, bacamarte é uma arma de cano curto com a boca mais larga) é um médico conceituado, pois estudou na Europa, e se dedica ao estudo da patologia cerebral, hoje se diria psiquiatria (termo que não existia na época), assim se torna um alienista, pois se dedica aos insanos e alienados. Se estabelece em Itaguaí, pequena cidade fluminense, funda um hospício a Casa Verde e começa a classificar a loucura segundo os cânones científicos.
Simão é muito conceituado na cidade pois é homem de estudo, dá mais atenção aos livros que a mulher, a ciência é seu Deus, num lugar e numa época que quem tinha diploma era “rei”.  Assim lá vai ele internando todo mundo nem a esposa escapa. Valia tudo, alguém supersticioso, uma senhora vaidosa, o indeciso... não estavam em conformidade às suas classificações de normalidade: internação. Até um rapaz apaixonado vai para Casa Verde.  Logo a população se revolta pois pessoas aparentemente ajuizadas, estavam sendo diagnosticada com distúrbios mentais. Simão faz então uma reviravolta em suas análises, pois a fronteira entre a loucura e a razão é bem tênue, solta os loucos e acaba por verificar que sendo ele o único são e sadio da cidade cabe a ele se interna na Casa Verde, apesar das lágrimas da esposa, aonde vem a falecer. “Apesar do boato de que ele seria o único louco de Itaguaí, recebeu honra póstumas”, segundo o autor em sua derradeira ironia.
Os personagens de Itaguaí são impagáveis , o barbeiro, o boticário, o padre, os vereadores , a esposa do médico e muitos outros. Machado se esmera na ironia, na critica aos pequenos poderes (do médico, dos vereadores, do farmacêutico), no retrato caricato da sociedade da época. O Alienista é um livro divertido, gostoso de ler e foi escrito como folhetim ou seja em vez de ver novela na TV (bem, também não existia) abra o jornal é leia um capítulo escrito por Machado de Assis.
É óbvio que a genialidade de Machado de Assis, dever ser reverenciada e estudada, mas todo mundo devia levar um pouco menos á sério sua obra, especialmente O Alienista, para o bem dos nossos estudantes e futuros leitores. A crítica óbvia do livro é não levar tão a ferro e fogo os dogmas da ciência e isso inclui as reverências literárias.
“De heroico ao ridículo não há mais do que um passo.” Símon Bolivar


SOBRE O AUTOR
Joaquim Maria Machado de Assis (1839-1908) - escritor, cronista, poeta e jornalista carioca, primeiro presidente da Academia Brasileira de Letras, publicou em forma de livro O Alienista em 1882, dentro do volume Papéis Avulsos.


33 comentários:

Guará Matos disse...

Machado de Assis também era o cara!
Bjs.

Misturação - Ana Karla disse...

Acho que todo mundo que eu conheço já leu o Alienista, menos eu.
Mas hei de ler em breve.
Jussara meu boa noite com carinho.
Xeros

Rogério Pereira disse...

Boa prosa divulga prosa boa
...que chega até perto de Lisboa

BsVoxx disse...

Machado de Assis é fenomenal ... um dia eu ainda consigo ler toda a obra dele. não me recordo de ter lido o alienista ... mas seu texto me deixou com uma vontade enorme de começar por ele.

BRIGADEIRO ONLINE disse...

Parabens!Realmente este livro é impar...

Obrigada pela visita lá no meu cantinho BRIGADEIRO ONLINE

Bjokas
Cris

http://brigadeironline.blogspot.com

Sentindo e pensando disse...

Nossa, faz tanto tempo que li esse que nem lembrava mais. Tái um pra reler!
Ah, eu sou voluntariosa, sim, mas não foi o que houve hoje. Até que eu tava bem calminha.

Ivan disse...

Quando li esse livreto na época de escola não gostei, só consegui perceber sua ironia e genialidade depois que fiquei um pouco mais maduro (mas nem tanto assim rs). Bela dica!

Abraço

Angela disse...

Praticamente lia a cada 2 anos no colégio este livro. Adorava. Beijos

Pandora disse...

Adorei \o/ Machado é sempre ótimo, sou fã dele desde a adolescencia(quando tinha que ler com o dicionario do lado para ajudar no processo rsrsrs), a irônia dele me cativou desde o principio \o/

Como sempre ótima resenha!!!

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Lembro que tive q ler este livro na escola. Comecei a ler xingando a professora. Mas foi só ler umas páginas...que a história toda mudou rs.
um livro excelente né.
bom dia

M. disse...

Este vou adquirir!

Convenceste-me! Dele só conheço algumas coisas dispersas...

Incrível a capacidade que tens em motivar, pela escrita, à leitura.

Parabens! Darias um excelente professora! (é um elogio sim:))

Rosa Lopes disse...

Se Machado fosse um escritor europeu o mundo seria outro.
Tudo que se escreveu sobre ele é pouco.
Quem precisa de analista ou psicólogo, vamos ler Machado...
Bj

yanne passos disse...

Jussara,
Lembrei do seu cantinho esses dias, quando fui comprar os livros paradidáticos dos meus filhos. Eu parecia uma boba tamanha a felicidade ao ver a relação dos livros: Os Sertões, A Moreninha, Ferreira Gullar, O Guarani em história de quadrinhos e o genial Machado de Assis para iniciantes para citar alguns. Agora só me resta torcer para que eles tomem gosto pela leitura, pois, não sei o que acontece com essa geração que acha um "saco" abrir um livro. Sinto pena deles, mal sabem o que estão perdendo.
Beijos e uma linda semana.

Paula Li disse...

Oi Jussara, lembro que na época da escola li Memória Póstuma de Bras Cubas e o meu grupo fez um funk para apresentar para a turma, sobre a obra em questão.
Ficou o máximo apesar da "heresia" rsrsrsrs!!!!
Assim que tiver a oportunidade vou ler o Alienista, adorei o resumo da obra.
Bjs

Sentindo e pensando disse...

Vim te avisar que está tudo ok com o resultado!

APPedrosa disse...

"De perto, ninguém é normal". Simão Bacamarte já sabia disso.
O Alienista é um livro emblemático para mim. A escola me fez ler quando eu tinha uns 13 anos. Não entendi nada e, de quebra, tomei birra do Machado. Voltei a ele já adulta e depois de formada em jornalismo e a-do-rei. Depois disso, me "reconciliei" com Machado e li muita coisa dele. E sempre penso em como a escola pode destruir um futuro leitor por fazer as coisas na hora errada.
Ufa, falei demais!
Bjs,
Ana Paula

A Viajante disse...

Com certeza!! eu adoro Machado de assis, e gosto do alienista, mas meu favorito mesmo é quincas borba, hahaha Rubião fitava a enseada....

gostei muito daqui!!

beijão!

david era uma vez... disse...

Quando estudava achava Machado boring talvez pela obrigação que nos era imposta!
Só vim ve-lo com outros olhos depois de velho.
Ou seja Machado só se torna interessante em leitores vinhos (aqueles que só se melhoram envelhecidos)!

Beijos Jussara!

Cintia Branco disse...

Ju,

O alienista ainda não li, no colégio enquanto todo mundo se debatia para não ler Machado eu justificava o fato lendo literatura russa, que até hoje é minha paixão, então, quando peguei Machado para ler, foi tranquilo, gostoso, suave. Adoro sua escrita e a exploração dos personagens.
Beijos

Sem Prefácio disse...

Jussara
Eu já li O Alienista, mas lendo seu comentário me deu vontade de ler de novo.Cadê tempo? vou ter que arranjar.
Respondendo sua pergunta/comentário no meu blog: vou te apresentar Janaína.

BRIGADEIRO ONLINE disse...

Querida!

Esta rolando um SORTEIO para o dia 06/03/11. Dia das Mulhers!!!

no Blog http://brigadeironline.blogspot.com

Participe!!!
Bjokas!!!

Cris

Lufe disse...

Eu gosto muito do Machado e em especial do Alienista. Ele foi um grande cronista de sua época. Seus personagens são otimos e parecem estar sentados na sala com a gente.Conhecemos muitos deles por aí.

bjos

Adelaide disse...

O que mai gosto em Machado de Assis são seus personagens e só realmente passei a aprecia-lo quando não era obrigada a le-lo...porque será?? rsrs.
Abraços

Cintia Branco disse...

Jussara,

Eu como mãe coruja agradeço o elogio ao Filho com DNA Alienígena, rs.
Beijos

Sentindo e pensando disse...

Ganhai dois livros da Isabel Allende de presente, menina: "A casa dos espíritos" e "Retrato em sépia". Já leste?

Monica™ disse...

Oi Jussara td bem ? Há um tempinho não passo por aqui, aliás, por blog algum q não seja o meu. Mas fiz questão de vir aqui hoje agradecer os valiosos comentários q vc deixa nos meus posts. São sempre certeiros !! Parece q vc consegue interpretar de forma única o q escrevo e de maneira sintética vc é breve, sincera e carinhosa ao mesmo tempo. São comentários q me fazem refletir e repensar muitas coisas. Obrigada. Beijos.

DESASSOSSEGADA disse...

Ja li O Alienista alias foi um livro que peguei e devorei em poucos dias.

Machado é o tipo de autor que faltam palavras pra descreve-lo

Bjos

Inaie disse...

saudade de machado. me lembrod e devorar as suas obras na minha adolescencia....

A. Marcos disse...

Fábio Moon e Gabriel Bá, dois irmãos gaúchos prestigiadíssimos e premiadíssimos, adpataram em HQ essa obra de Machado de Assis.

Para o meu gosto ficou ótima.

Eu sugiro que vc mesma leia e conheça o trabalho desses rapazes.

Christine disse...

Ju, vc deveria defender uma tese "como curar os traumas adquiridos em relação a leitura na escola"...hahaha Não vai ser dificil encontrar casos para analisar...rs
Se eu tiver que pagar excesso de bagagem quando voltar para China no final de março, vou falar para o cara da cia aérea te ligar....hahahaha
Beijo

Adriana Alencar disse...

É por essa e outras maravilhosas obras que ele é o clássico absoluto da literatura brasileira!
Bj
Adri

ativista disse...

Da Hora teu blog,Parabéns.
Seguindo,Segue ai tbm.
http://hiphopactivistface.blogspot.com/
vlw

Sentindo e pensando disse...

Passando pra te desejar um bom domingo!