terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Vício

Nudez  Mortal, J. D. Robb
Vocês sabem que sou altamente viciada, sofro de abstinência e quase enlouqueço com a falta... na minha vida profissional viajei bastante, como às vezes as viagens se prolongavam eu caia em abstinência, enlouquecia e corria para rua atrás... do primeiro jornaleiro e comprava qualquer coisa que se parecesse com um livro, tá no formato, tem mais de 80 páginas, tá valendo. Foi assim que eu conheci os chamados romances de banca, os romances mulherzinha. Há muita porcaria, mas dá para passar a noite e no dia seguinte correr atrás de algo melhor, mas também há coisas bem interessantes e bem escritas. Tenho verdadeiro horror dos romances históricos, mas, diga-se de passagem, já li alguns que me distraiu  ou eu estava no último estágio da fissura (risos).
Com o tempo, e depois de muitas corridas aos jornaleiros  por aí, descobri algumas autoras muito boas, tanto que compro livros delas que estão fora do formato banca, uma delas é a Nora Roberts, ela começou escrevendo  romances de banca, aliás como muitas delas, e quem acompanha minimamente consegue ver a evolução que ela veio tendo ao longo dos anos, atualmente seus romances estão sempre nas listas dos mais vendidos nos EUA,  se nós pudéssemos confiar nas listas das revistas brasileiras ela também estaria, Nora Roberts tem um enorme fã-clube brasileiro.
Em 1995, Nora resolveu investir num gênero ao qual ela já vinha  namorando, o romance policial. Inventou um pseudônimo, J.D. Robb (as iniciais de seus filhos e a abreviatura de eu sobrenome)  e criou a série Mortal. Nudez Mortal é o primeiro livro da série, que nos EUA já tem mais de 30 livros e no Brasil já está com quinze editados.
A série Mortal se passa em 2058, o que permitiu a autora criticar várias mazelas americanas bem atuais, trânsito enlouquecido, fast food, intromissão da mídia na vida alheia e excesso de tecnologia em detrimento dos sentimentos. Em  Nudez Mortal  são apresentados os protagonistas da série a Tenente da Policia de Nova York, Eve Dallas, uma mulher com um passado nebuloso e que frequenta uma psiquiatra e Roarke um milionário irlandês com um passado mais que suspeito e que até hoje não segue a cartilha do politicamente correto.  Nudez Mortal  começa com o assassinato de uma acompanhante autorizada (em 2058 a prostituição é legal), o caso ganha repercussão por que a dita cuja é simplesmente a neta de um senador famoso por defender ideias conservadoras. Eve Dallas é designada para investigar e entre os suspeitos está Roarke, é assim que eles se conhecem e  se apaixonam. Só para vocês saberem, café é algo tão caro e raro na segunda metade do século 21, que o presente mais valioso que Roarke manda para conquistar Eve é um kilo de café verdadeiro! A investigação tem reviravoltas e o final é surpreendente!
Este é o tipo de livro que a gente leva para as férias, diverte, tem suspense, tem romance e tem uma investigação e é bem escrito. Os livros da série Mortal podem ser lidos independentes, mas ler na ordem facilita entender melhor as piadas internas. Aliás, qualquer livro de Nora Roberts é uma ótima companhia de férias e apesar de seu passado seus romances não estão voltados somente para o público feminino.
“A violência é tão americana quanto a torta de cereja” – RAP Brown (Hubert Gerold)

SOBRE O AUTOR
Nora Roberts (1950 -   ) – escritora americana com mais de 160 livros publicados, sob o pseudônimo de J. D. Robb publicou Nudez Mortal em 1995, no Brasil pela Editora Bertrand.

18 comentários:

M. disse...

Esta não conhecia. Temos por cá este tipo de edições. "para ler no comboio e contar os mortos...lol)

Mais um bom incentivo à leitura. Teu.

Celia na Italia disse...

Ah como queria ter por aqui algo que me prendesse a atenção. Este me pareceu muito bom. O próximo que nos visitar aqui na Italia terá esta encomenda.
Valeu!

Borboletas nos Olhos disse...

Baby, você descobriu meu vício não tão secreto...tenho todos os desta série que já foram lançados no Brasil e fico alvoroçadíssima enquanto os outros não surgem. Também leio Harlan Corben e Tess Gerritsen...tenho cura? Bjs

Pandora disse...

Vez ou outra eu também leio romance de banca para desopilar o juizo sem ficar sem ler, é estranho isso, vc simplesmente não consegue ficar sem ler ai ler romances de banca, está lendo, mas não está ao mesmo tempo, é como esta com fome e comer uma tomate pq não quer encarar um prato de feijão... Nessa dinamica eu descobrir que existem boas autoras, mas os romances historicos não entram, nem Barbara Cartland, vixe é DEMAIS Jussara muito anacronismo \o/

Ah, sim, a Nora Roberts é fera, uma doçura, sempre fico feliz vendo o sucesso dela em outros rumos... Tem muitas autoras (autores?) boas (bons?) escrevendo romance de banca sempre que encontro uma(um?) fico na torcida.

Cheros, Jaci!

Juliana disse...

meu preconceito com a nora acabou AGORA!! heheh

menina, eu sempre vejo na livraria ,mas fico com pé atrás! vou comprar esse!

Carla Farinazzi disse...

Jussara!

Eu estava esperando justamente uma dica como essa pra começar a ler Nora Roberts. Eu sempre quis, mas nunca me aventurei. Perfeito!!! Pode deixar que já está anotado na minha lista, graças a essa dica sua!

Obrigada, beijos

Carla

Cintia Branco disse...

Jussara,

Nunca li nada da Nora, e olha que adoro romance de mulherzinha, tenho verdadeira paixão, leio 1 há cada semana. Percebi que de um tempo para cá, por conta da profissão e da formação, onde se exige leitura pesada, quando leio e também assisto televisão quero prazer, diversão e momentos sem ter que pensar em nada sério, por isso que leio 3 a 4 livros por vez, um específico da área, um de literatura clássica (adoro os russos), um atual, desses que estão em voga e um bem água com açúcar. E já que isso deixou de ser um comentário e está mais para sessão de terapia, adoro um romance histórico, de preferência de banca, rs.
Beijos

disse...

Nunca li Nora Roberts rs

Gostei do seu blog!

Bjos

yanne passos disse...

Oi jussara,
Tem gente que vira o rosto e tem realmente preconceito com esse tipo de leitura. Confesso que gosto de Nora Roberts, Sidiney Sheldon e autores de romance policial. Quando o texto é bem escrito, a historia tem começo, meio e fim e cumpre o papel a que se compromete, não vejo porque ser preconceituosa.
beijos

Adriana Alencar disse...

Realmente, bom para ler no tempo livre, fascinante
Beijo
Adri

Glória Maria Vieira disse...

De verdade, eu tenho que ralar muito pra chegar a sua cota de livros lidos, Juh! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Arrasa mesmo!

beijo

Anne disse...

Eu já li Nora em algum lugar do passado... Não consigo lembrar qual livro, mas eu lembro que gostei muito!

Como sempre, vc com maravilhosas dicas e opiniões fantásticas, da super vontade de ler!!

Flor... Quero agradecer de coração (MESMO) por tuas visitas, por tuas palavras sinceras, sempre me dizendo o que pensa, o que acha disso tudo...

Obrigada mesmo, por abrir meus olhos sempre, por me ajudar a ver algumas coisas que às vezes fico cega mesmo...

Nem sei como agradecer tanto carinho, mas fique sabendo que tem um lugar especial no meu coração!

Olha, sei que vc não costuma publicar selinhos, mas tem um dedicado pra vc lá no meu cantinho, viu?

Beijos, beijos!!

Inaie disse...

menina, eu surto e choro quando fico sem livros. ataco a prateleira de livros adolescentes das minhas filhas. Ja li todos os meg cabbots, pra vc ter uma ideia.

Na verdade ja li todos os autores pelos quais elas se interessam.

e todos os livros academicos do meu marido, que e professor e so le coisa seria ( chata).

kkkk

Christine disse...

haha... Jussara, adorei... realmente ler os livros da Nora é um relax. Outro dia vendo a lista que tenho de livros que li, uma brasileira que queria lagum emprestado falou: nossa como vc é eclética...hahaha
Além do fato da abstinência (e esse tipo de livro ser fácil de encontrar, tem a questão da leitura para relaxar. Depois que li "Clarice,", fui correndo na prateleira para pegar um da Nora, só para relaxar depois de tanto filosofar com a Mestra...hahaha
E, para mim que moro fora, ainda tem mais uma vantagem: a linguagem desses livros são simples. Sendo assim consigo ler em inglês sem stress, o que é um consolo sem tamanho quando se está do outro lado do mundo!!!hahaha.
Beijo enorme...
PS: e a netinha, já viu o post da Barbie...hahaha

Paula Li disse...

Oi Ju, obrigada pela visita, acho que a maioria das mulheres realmente teriam dado o fora ao encontrar a ex, principalmente sabendo que o encontro não tinha nada de casual, mas eu sempre passo para ela a imagem que não me incomoda.
Acho que ela deve ferver de raiva ao pensar que não me atinge.
Quanto ao post, vou confessar que adoro um romance estilo mulherzinha e já li muitos livros da Nora desta fase.
Sempre acho que as pessoas tem preconceito com esse tipo de literatura, mas sempre os defendi. Acho até que muito da pessoa que sou se deve a esses livrinhos, que me acompanham desde a adoslência e eu me identificava com as heroínas, mulheres do bem, guerreiras e com escrúpulos.
Um grande beijo.

A. Marcos disse...

Comprei o Genesis...

BsVoxx disse...

Otima sugestão ... triste saber q talvez o café poderá ficar tão caro ... ja comprei muita coisa em banca ... mas sempre q tinha essa pane seca de leitura, eu corria em um sebo ... risos.

Bel disse...

Oiê! Obrigada pelo comentário hoje - finalmente! - já que você diz que lê sempre, mas nunca comentou!

Eu já tive a fase dos romances de banca... li centenas, eu acho. Mas faz tempo que não pego em um. Fiquei até com vontade, mas com essa minha vida louca... acho que não é hora de inventar algo viciante, não. Deixa quieto!

Bjo!