quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Sorte

Pode entrar, Dona Sorte - Grupo Confabulando Contadores de Histórias
A humanidade tem uma longa tradição de contar histórias, afinal era a única maneira de repassar tradições, aprendizados e conhecimentos.  Ao longo de milênios essa forma oral de transmitir conhecimento e emoção ganhou sofisticações (Homero,por exemplo) não podemos deixar de assinalar que essa forma transmissão de conhecimento ainda está presente em nossa vida, dando um exemplo concreto : quando o padre lê o Evangelho na missa está transmitindo um conhecimento oral, pois lá no começo muito poucas pessoas liam. Nos últimos séculos parte dessa tradição foram se perdendo, primeiro a imprensa, depois o cinema, rádio, TV e hoje a Internet. Mas quem de nós não gosta de um bom causo contando por alguém que faz de um episódio de 4 linhas uma longa história.  Vocês conhecem o David do blog Era uma Vez? Pois deviam conhecer, só de ler a gente vê que ele é um grande contador de história, provando que a tecnologia não matou a tão milenar arte de contar uma boa história.
Ao entrar para o Desafio Literário de 2011 e sendo esse mês o do livro infanto-juvenil, escolhi especialmente Pode entrar, Dona Sorte, por ser um livro que nasceu de quatro contadoras de histórias do Grupo Confabulando Contadores de Histórias , que estão juntas desde 1994 resgatando a tradição e a arte de contar histórias. Nesse livro todos os contos tem o elemento Sorte e reuni histórias baseadas em contos folclóricos do oriente, português, mineiro e muitos outros. Algumas histórias são conhecidas outras não, mas toda são deliciosas, como vem de tradição oral, minha sugestão que vocês leiam para as crianças, como estão baseadas em variados contos sempre se pode estender a prosa para peculiaridades do conto, como no conto baseado em uma história japonesa.
Minha história predileta desse livro é Lucun à la Pistache, é a história de um grão-vizir que experimenta o auge da sorte e o máximo do azar, vale a pena ser lida pois a lição é mais ou menos essa: “Não há bem que sempre dure e nem mal que nunca se acabe”. Ao final do livro as autoras-contadoras identificam a origem de cada história, dando um elemento a mais para nos divertir.
Existe um grande movimento de Contadores de Histórias resgatando tradições, contos e causos e eles estão espalhados pelo Brasil todo, da próxima vez que você ouvir falar que tem um contador de história em algum lugar (bibliotecas, livrarias, escolas e outros) pegue a primeira criança que encontrar, vale até emprestar de alguém e vá, será sempre divertido.
“Quem conta um conto aumenta um ponto”

SOBRE O AUTOR
Grupo Confabulando formado por Ana Cretton, Maria Clara Cavalcanti, Maria Inez Corrêa e Olivia Dornelles publicaram Pode entrar, Dona Sorte pela Editora Rocco em 2003.
***********
Esta postagem faz parte do Desafio Literário 2011 se quiser conhecer minha lista completa entre aqui.

28 comentários:

Roberta M. disse...

Oi Ju!! Já anotei o livro, adoro essas histórias, assim como um dos meus livros preferidos é As mil e uma noites, por justamente contar essas historias tão interessantes e que te prendem!!! Beijocas

Cáh disse...

Ah aqui poderia ter mais destas coisas...
sabe que minha mãe leu várias histórias pra mim, e depois começamos a ler juntas...



Um Beijo

Cintia Branco disse...

Jussara,

Mais uma obra para me levar ao delírio, adoro esse tipo de livro, agora quero ver encontrá-lo por aqui...
Adorei a dica!
Beijos

Sandra disse...

Ótima dica, ainda mais por ser elaborado por contadoras de histórias, algo que adoro, e como educadora sempre procuro trabalhar com os alunos!

E obrigada pela visita no blog!
beijos

Misturação - Ana Karla disse...

Jussara, como você disse, esse eu também estou anotando.
E concordo plenamente: "pegue a primeira criança que encontrar, vale até emprestar de alguém e vá, será sempre divertido" E ainda completo: se não der, vá sozinho mesmo, né?
É bommm demais.
Xeros

Misturação - Ana Karla disse...

Vou agorinha conhecer David.
Xeros

APPedrosa disse...

Conheci um contador de histórias. É fascinante.

Mônica disse...

Este tipo de livro é muito bom de ler, contar e ouvir história também é muito bom, valeu Ju.

david era uma vez... disse...

Jussara levei um susto.. to lendo o assunto, nem imaginava que meu nome apareceria no meio da sua postagem! Nossa moooooito legal isso!! fiquei super comovido!
Obrigado por mencionar me como referencia, apesar de nem ser tanto uma referencia!

Vc sabe que eu sempre tive essa mania de contar histórias.. digo historias infantis tambem... minha mãe e minha avó sempre me contavam, minha avó por ser analfabeta tinha historinhas cantadas de tradição espanhola que eu pouco lembro da canção mas que o conteudo fixaram-se na minha lembrança.
Meus filhos, sobrinhos e tudo quanto é criança que aparecia eu sempre gostei de contar e criar histórias.
Hoje em dia até que nem tanto, talvez instintivamente esteja me guardando para os netos que um dia virão ou então me gastando contanto minhas histórias verídicas no blog, que ja tem nome de historinha "Era uma vez..."!

Beijos Jussara

M. disse...

Contar histórias para crianças é a literatura mais complicada de se fazer. De longe!

Guará Matos disse...

Sempre gostei de uma boa história contada.
Criança que não hove história não sonha.

Bjs.

Glória Maria Vieira disse...

Juh... eu não sei se sou uma contadora boa de histórias, mas que eu a torno quilométrica, isso ngm nega! KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Adorei- mais uma vez.

Sentindo e pensando disse...

Dica interessante. Obrigada!

Adelaide disse...

Oi, Ju! Estive ausente....é por um bom motivo vc sabe (mudança)...rsrs. Bem, eu adoroo "Era uma vez".... E gostei bastate da dica de leitura (afinal tenho uma devoradora de livreos infantis e uma de infanto juvenil - afilhada e filha) e as vezes faltam idéias de bons livros. Obrigada!
Abraços

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Gosto muito de livros assim! Quero ler este tb. Toda vez que venho aqui minha lista aumenta e aumenta rs (o que é bom).

Aqui perto de onde moro tem uma trilha, de contadores de histórias infantis. Um dia vou falar dela no blog, vc me deu um bom tema pro blog.
bjs e bom dia!

Suzete Retti disse...

Adoro ler, qdo pequena minha mãe lia para mim e eu sonhava aprender a ler, para que ninguém lesse pra mim. Leio tudo que tem escrita, depois seleciono.
Jornal de feira das bananas li muito.bjs.

Bruno Dezinho disse...

Gostei bastante. É preciso resgatar essa cultura de contar histórias, crianças devem ouvir histórias, antes de dormir, devem fechar os olhos, imaginar. Muito boa a iniciativa desse livro.

:]

bRu.

disse...

Parabéns pela iniciativa.
Muito boa a sua sugestão.
Acho super válido resgatarmos a arte de contação de histórias.
Até o próximo desafio.

Abs, Rê

Kelly disse...

Obrigada pelo apoio lá no blog, sem amigos o que seria da vida não é mesmo? bj

Tertúlias... disse...

Ahhh..estórias... e como é bom ouví-las também! Quizera eu poder uma de Karien lixen ao vivo, contada por ela... Mas é difícil voltar ao passado, nao? Adorei este post, adorei sua visita!

Tertúlias... disse...

Minha tecla está emperrando... Correcao: Quizera eu poder ouvir uma de Karin Blixen, contada para ela...

Macá disse...

Olá JU
Não li esse também! Guarda pra quando eu for aí? Quer dizer, vou ter que passar um tempão né?
Mas como você sabe, eu adoro histórias. No final de semana passado fiz um estágio com 2 crianças - Anna e Isaac - e foi muito bom. Já tenho quem levar quando souber desses grupos contadores de histórias.
beijos

Vivi disse...

A capa, a resenha, tudo é um grande convite à leitura da obra. Boa, garotinha! Excelente participação. =D

Bjs

Carla Farinazzi disse...

Oi Jussara!

Poxa, fiquei interessadíssima nesse livro. Adoro histórias, adoro ouvi-las. Minha vó, que infelizmente já morreu, era uma grande contadora de histórias. Me lembro, com os olhos cheios d'água, das muitas que ela me contava. Todas lindas e cheias de lições. Caramba, que saudade me deu agora!

Beijos

Carla

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Jussara, vc é uma praga! só faz engordar minha lista na loja brasileira, encomendas, encomendas, encomendas! rs.
os olhos querem ler este livro, tenho que atendê-los

adoro seus posts, descubro muita coisa excelente na literatura.

como tá tudo por ai?
bom domingão!

Juci Barros disse...

Sempre gostei de ouvir histórias, com um pouco mais de idade passei a contá-las. É relaxante, faz pensar, ser gente!

Beijos.

Larissa, Lara, Lalá, .... disse...

Mas que super dica!!! Eu adoro a literatura infantil e nao conhecia este livro. Adorei!!!!

Cristina disse...

Lucun a la pistache é meu conto predileto. Ouvi de uma professora e reescrevi em meu blog. Que bom saber que tem um livro com essa história, vou procurar. Adorei seu blog, encantador como a leitura!!! Parabéns!!! Feliz 2014!