domingo, 30 de janeiro de 2011

Cena de Sangue

Crônica de uma morte anunciada, Gabriel Garcia Márquez

Porque ler um livro em que sabemos quem morreu, quem matou e a razão do assassinato nas primeiras 10 páginas? Minha resposta: porque é Gabo, apelido carinhoso de Gabriel Garcia Márquez. Só um gênio das palavras pode nos prender por quase 200 páginas mesmo quando sabemos o desfecho. É simples, Santiago Nasar vai morrer, será morto pelos irmãos Vicário para se vingarem da desonra da irmã, todo mundo na pequena cidade onde vivem sabe, mas nada fazem de concreto para avisar ou proteger a vítima nem para impedir os irmãos, que só faltam implorar para que alguém faça isso. O livro narra as horas que antecedem o assassinato, de maneira quase jornalística, descreve as coincidências funestas e as fatalidades que fazem com que Santiago Nasar seja assassinado. Como é um dia de festa, a chegada do Bispo, toda a cidade está acordada, mas mesmo sabendo do que vai ocorrer, ninguém avisa Santiago, uns por que tem algo importante para fazer, outros por que não acreditam que os irmãos realmente executem a vingança e outros ainda acham que alguém já fez isso, até a tragédia ocorrer.  Qual mistério que fica? Quem desonrou Ângela Vicário, ela nunca contou. E ela mentiu ao acusar Santiago.
Este é o livro preferido de Gabriel Garcia Márquez de muita gente, o livro é baseado em uma história real, em sua autobiografia Gabriel diz que havia prometido à mãe só contar essa história após a morte dos envolvidos, o que aconteceu em 1980. É uma reportagem, de certa forma, mostrando o grande jornalista que o autor foi, ele passou grande parte de sua vida trabalhando em jornais.  Histórias de assassinatos já consumiram milhares de bobinas de papel e rios de tinta, mesmo quando queremos fugir dos detalhes somos atingidos por eles. Não vou explicitar nenhum dos assassinatos que foram explorados nacionalmente pela imprensa, rádio e TV, só tenho a lamentar que nenhum dos jornalistas envolvidos tivessem a sensibilidade, o talento e a genialidade de Gabriel Garcia Márquez.
 “Cada um de nós é uma lua e tem um lado escuro que nunca mostra a ninguém.” Mark Twain

SOBRE O AUTOR

Gabriel Garcia Márquez (1927 -  ) – o mais prestigiado autor colombiano e ganhador de um Prêmio Nobel de Literatura (1982), publicou Crônica de uma morte anunciada em 1981 pela Editora Record.

29 comentários:

Adelaide disse...

Eu Sou apaixonada pela forma como esse autor consegue prender-me a leitura, esse foi um dos livros que agora, a ver aqui descrito deu-me uma saudade....
Tenha uma ótima semana
Abraços
http://euseivoucontar.blogspot.com

M. disse...

Esse já li...Como já li outros deste autor. Um dos maiores autores do século passado...

Guará Matos disse...

Adoro Gabriel Garcia Marquez. É tudo, putz!
Demais.
Bjs.

Lúcia Soares disse...

Vou ler. Um dos meus autores preferidos.
Beijo!

Borboletas nos Olhos disse...

Aindame reencontrando com as palavras, depois da preguiça de janeiro...ótimo post, querida!

Roberta M. disse...

Ju, meu preferido é Cem anos de solidao, mas curti muito esse livro também!!! Beijocasss

Neiriberto disse...

Passei para agradecer a visita no meu blog, mas Garcia Marquez é irresistível.

Não sabia que essa história era baseada em fatos reais. Li esse livro quando era adolescente ae atgé hoje me pego lembrando da descrição da dificuldade de matar um homem, da sensação que ele nunca morria, pq na verdade os golpes de faca dos assassinos mantinha o corpo em pé contra a porta.

Gabo é um gênio.

A. Marcos disse...

Bom dia.

Wagner L. Moreno disse...

Quero lhe convidar a ler minha coluna no blog da Radio SAFIRA:
http://radiowebsafira.blogspot.com

Abraços e tenha uma otima tarde!

Bruno Dezinho disse...

Li esse livro há dois anos. Sua escrita é fantástica. É omo você bem colocou, na primeira frase do livro já sabemos que Nasar irá morrer. No entanto, o argumento pouco importa ao narrador, pois o que está em jogo é, uma vez revelado o clímax do livro, é adentrar pelo labirinto do livro que é justamente o trabalho com a linguagem para tornar uma informação dada previamente em algo interessante. De leitura muito rápida, afinal o livro tem poucas páginas, essa crônica traz de forma curta o estilo de Gabriel, um escritor que sabe o que fazer com a palavra, sabe como usá-la, como trabalhá-la, e como presentear o leitor com suas estórias fantásticas.

Gostei muito de passar aqui e encontrar uma resenha de um livro que li e que gosto muito.

bRu.

Adriana Alencar disse...

Ele é extremamente realista, o que me agrada muito, e consegue prender a atenção, coisa rara nos autores modernos.
Bj
Adri

Cáh disse...

hum, interessante.... tenho uns para terminar, talvez este seja o próximo a ler!!


Obrigada pelo comentário no blog, seja sempre bem vinda.

Um beijoo

Rosane Marega disse...

Oie, vim conhecer,gostei e ja sigo.
Voltarei sempre.
Beijossssss

Lufe disse...

Adoro o Gabo....
Você fez um release maravilhoso do livro.
Provoca a leitura.Instiga.

bjos

Cintia Branco disse...

Jussara,

Esse foi o primeiro livro que li do Gabriel, e na mesma hora me apaixonei, lembro de brigar com o livro, de fechá-lo e bater boca com os personagens tamanho meu envolvimento, adorei e depois disso nunca mais me mantive longe do Gabriel. Tenho algumas paixões literárias: o Gabriel, o Galeano e os Veríssimos, o filho, mas principalmente o pai.

Grandes beijos

Macá disse...

Olá Ju
Lendo os comentários acima, notei que o Lufe escreveu aquilo que sempre digo: Você provoca nas pessoas a vontade de ler o livro, instiga a compra (o empréstimo, a busca em sebos) e isso é muito bom. Você está de parabéns viu?
beijos

Tathiana disse...

HUM... Interessou-me muitíssimo.
Caríssima, adoraria ver uma lista dos seus livros preferidos (uma lista dos 10 mais... ou se for muito difícil, dos 20 mais! rs).
BJs.

Nilce disse...

Oi Jussara

Você aguça nossa vontade de ler.
Estou com muitos e não estou dando conta.
Mas está anotado.

Bjs no coração!

Nilce

Flávia - Compartilhando Idéias... disse...

Querida Jussara!
Confesso que não leio muito ultimamente por pura falta de tempo, se é que isso pode ser usado como desculpa não é mesmo?
Bom, de qualquer maneira, anotei o nome.
Obrigada!

Ah, queria também te agradecer pela carinhosa visita ao meu blog e pelas palavras de conforto!!!
Um grande abraço!

Renata C., UMA ESPOSA EXPATRIADA disse...

Ju, minha delicia! Olha so': eu nunca li Garcia! VERGONHA MAXIMA, NE? Entao ta prometido aqui e em publico: quando for ao Brasil em Julho trago na mala um exemplar em PORTUGUES E LEIO. JURO-JURADO!
Olha, obrigada pela atencao de sempre. Sabes, fui fazer o login quando entrei aqui e ele "dez de novo"como se eu (tb) nunca o tivesse feito!!! Acho que esse troco nao ta indo bem das pernas!
Por isso que eu to AMANDO O FEEDBURNER (QUE AVISA POR EMAIL TODAS VEZ QUE TEM POST NOVO, E VC PODE OPTAR EM ENVIAR TODO O POST, SO O TITULO, OU APENAS O COMECINHO...). POE, VAI! POEEEEEEE AQUI!!!!
BJS!

Rosa Lopes disse...

Estou chegando agora por aqui, mas considero uma sorte por ter sido recebida por Gabo, que sou apenas apaixonada!
Quem bom!!
Bj

Mônica disse...

Olá Ju, Ainda não li este livro de GGM, mas vou colocá-lo na minha lista. O perfil de seu blog é muito parecido com o do meu. Obrigada pela visita, bjs

david era uma vez... disse...

Droga droga droga... me sinto um lixo... todo mundo leu algo do Gabriel e eu não li nada!!
E eu achei tão legal sua resenha do livro... vou correr atras do prejuizo... Vou ler já uns 3 assim... da próxima vez eu dou uma esnobadinha dizendo que preferi o outro... mesmo não tendo preferido.. hehehhe

Beijos Jussara...

david era uma vez... disse...

Ah sobre Rugby.... vc leu minha explicação sobre o Rugby ou só os motivos de eu gostar?
a explicação esta aqui:
http://davidoldtiger.blogspot.com/2010/06/decifra-me-ou-te-devoro-o-rugby.html

Beijos Ju

palavrasdeumnovomundo disse...

Jussara, fiquei muito feliz com sua visita em especial por ser por intermédio da M. (gosto muito daquela maluquete filosófica). Vim conhecer tua página e adorei pq amo ler e suas dicas serão muito valiosas para mim. Já te acompanho e te espero novamente lá no meu mundinho. Bjs. Rosa

Inaie disse...

vou ler! vou ler!!!

Balzaquiana com 'Z' disse...

Do Gabriel eu li os Doze Contos Peregrinos... mas detestei! Será que eu tenho algum problema? O pior que foi presente do mardido.

BeijinhoZzz

Daniel Brazil disse...

Bela resenha, Ju! Balzaquiana, os Doze Contos são mesmo fracos, nem de longe refletem a grande obra de GGM. Se você não tem paciência para romances, experimente Olhos de Cão Azul, contos da melhor fase, lá pelos anos 60 e 70. O homem estava no auge da criatividade!

Pandora disse...

Fique instigada agora!!! Nunca li nada de Gabriel, um dos meus amigos é fã, mas sei lá os comentários deles sobre Memória de Minhas Putas Tristes sempre me fizeram evitar os livros de Gabriel, mas a sua resenha me fez repensar, até pq assacinatos sem sentido fazem parte da minha rotina e um jornalista sensivel é algo que talvez valha a pena conhecer!