domingo, 19 de dezembro de 2010

Para pedir para o Papai Noel

SAUDADES DO SÉCULO 20,  Ruy Castro
Como estamos entrando na segunda década do século XXI, nada mais apropriado que sentir saudades do século passado, afinal eu, como meus leitores somos todos nascido no século passado. Não tinham pensado nisso? É, mas os nascido no século presente já  alfabetizados estão na faixa dos 8/10 anos e não me lêem.
Saudades do Século 20, conta a vida de treze personagens que se tornaram ícones, como o próprio autor afirma: a escolha foi dele, cada um pode fazer a sua escolha para ter  saudades. O que é uma boa ideia, pense na sua lista. A do Ruy Castro entra Frank Sinatra,  Hitchcock, Billie Holiday, Fred Astaire, Mae West entre outros, os outros você conhece lendo o livro. São nomes universalmente conhecidos e idolatrados do cinema, literatura e da música que tiveram uma vida rica e emocionante, além de deixarem uma obra eterna. Os retratados, numa prosa deliciosa e com muitas informações,  tiveram seu auge entre os anos 20 e 60 do século XX, ou seja muitos de nós não vimos esse auge, só em reprises mas quem não quis dançar como Fred Astaire, ser genial como Orson Welles ou beijar os galãs que Doris Day beijou, tudo bem que só no fim dos filmes.
Não ter vivido não significa não ter saudades de um século que mudou tudo que se conhecia no mundo. Em 1910 o telefone era raro e funcionava mal, luz elétrica era luxo, em 2010  celular é uma praga e como viver sem luz elétrica? Máquina de escrever era um must, hoje como viver sem computador? Eu não largo meu  notebook!
Minha lista de saudades  inclui, ter visto o Garrincha jogar no seu auge, era pequena e não apreciava tanto futebol. Ter visto um espetáculo de  Carlos Machado, com vedetes e músicos da melhor qualidade, era menor e sequer sabia que existia o chamado teatro-rebolado. Ter ido a um dos festivais de música da Record, principalmente o de 1967: já viram o filme Uma noite em 67? Imperdível. Esse festival eu vi pela TV. Ter frequentado um cassino, muito glaumor, foram fechados antes de eu nascer. Leiam o livro, sintam saudades e façam sua própria lista. Que tal fazer uma lista dos momentos que participaram? Eu vi Help e Submarino Amarelo dos Beatles no  cinema. Eu vi Gota D’Agua, peça do Paulo Pontes com músicas de Chico Buarque, com Bibi Ferreira como estrela. Eu vi o Pelé jogar, já no fim de carreira e num joguinho chinfrim, mas eu vi, meu pai me levou no Pacaembu. Eu vi nascer a novela diária e já trabalhei com o Tarcísio Meira, aliás também já trabalhei com Roberto Carlos. Eu ouvi discos de Maísa e Elis Regina, quando elas eram só cantoras de sucesso e não os ícones que são hoje. Enfim vamos parando por aqui, se fizerem as contas vão saber minha idade. Conta para mim uma saudade sua!
Viver é a coisa mais rara do mundo. A maioria das pessoas apenas existe. Oscar Wilde
SOBRE O AUTOR
Ruy Castro (1948 -  ) – jornalista e escritor mineiro com passagem nos mais importantes veículos de imprensa do Rio e São Paulo, publicou Saudades do Século 20, em 1994, pela Companhia das Letras.

24 comentários:

Ro disse...

Oi Jussara , passei pra agradecer seu carinho.
Abandonei o blog um pouquinho , mas devagar estou voltando.
Minha saudade?
Os filmes do Elvis e do Jerry Lewis.
Mil beijos e obrigados.

Lufe disse...

Antes de mais nada, gostaria de lembrar que alem do século, somos do MILENIO passado....rs
Tenho muitas lembranças que foram narradas por Ruy Castro.
Mas também tenho muitas outras, mas as minhas lembranças reais já são da do final da década de 50.
Eu vi Garrincha jogar, no Estadio do Independencia em BH, jogo em que o Galo ganhou o primeiro tempo do Botafogo por 4X0 e a torcida que lotava o campo gritava: -“Cadê Garrincha? Ao sair, ele fez um gesto com a mão espalmada sinalizando aos torcedores – “Aguardem! . Ao final do segundo tempo o placar apontava Botafogo 5 X Atletico 4. Foi uma apresentação inesquecível de Garrincha, ele calou o estádio.
Eu me lembro da inauguração de Brasilia e da renuncia de Janio.
Eu vi surgir a mini saia, eu vi surgir a pílula, os Beatles e os Rolling Stones, eu vi surgir a televisão e o radio de pilha. Tive gravador de rolo e passei telex. Telefonei interrurbano para cidade a 50 Km de BH via telefonista. As vezes demorava horas para completar a ligação.
Eu vi surgir a industria automobilística no Brasil, e também os sindicatos.
Eu assisti pela TV a descida do homem á Lua – “Um pequeno passo para o homem e um grande passo para a humanidade”. Eu assisti pela TV, a cores, a copa de 70 no Mexico. Eu vi a revolução de 64 onde um amigo meu, recruta do exercito a 2 meses apenas, apareceu na Manchete, na capa, em um ninho de metralhadora em frente ao Palacio do Planalto em Brasilia que as tropas de Minas ocuparam. Eu participei ativamente das grandes passeatas estudantis de 68 e assisti ao comício de Brizola em BH, onde a policia invadiu o local quebrando tudo. Tenho lembranças terriveis de, convocado e obrigatoriamente ter servido à PE em 69 justamente quando começaram os raptos aos embaixadores e a guerrilha urbana. Eu vi gente sendo torturada e isso me da pesadelos até hoje.
Nesta mesma época, fato muito mais condizente comigo, eu assisti ao Hair, que alem do significado da peça foi de onde surgiram grandes artistas de expressão, como Ney Latorraca, Aracy Balabalian, e outros. Eu vi ao vivo e a cores a Sonia Braga pelada, ela aos 18 anos. Inesquecivel. Tive cabelo batendo no meio das costas.
Eu vi o final da guerra do Vietnam.
Eu vi e vibrei com Tancredo, Ulisses e outros, na campanha da Anistia.
Vou parar por aqui senão dá outro post......rsrsrs
Enfim amiga, vimos muita coisa, não é? E espero que vejamos muito mais ainda.

Um bom Natal e um Ano Novo chei de felicidade pra você, a familia e para seus leitores.

Um beijo com muito carinho.

Roberta M. disse...

Ju, que post mais bacana!! Tenho saudades dos anos 50, sei lá porque, mas me fascina demais aquela época, desde o vestuario ao romantismo....gosto muito dos filmes dessa época...Ruy Castro é mestre mesmo, amo o Ela é carioca, ele consegue nos remeter aqueles momentos como se estivessemos numa arquibancada, assistindo a tudo que ele relata de pertinho....beijocas querida!!

Guará Matos disse...

Nossa e tenho saudades de muitas coisas mesmo:
Da minha infância passeando pela Cinelândia dos anos de 1960;
Das praças;
Do programa do Big Boy na Rádio Mundial AM - RJ, onde aprendi mmuito sobre Rock'm Roll;
A Escola Municipal Expedicionário Aquino de Araujo, em Duque de Caxias. Alí aprendi a ser feliz;
Dos grande amigos conquistados, apenas por amizade;
Muita curtição.

Você Jussara me fez viajar em tantas coisas legais, obrigado.

Bjs.

Borboletas nos Olhos disse...

Eu gosto muito do Ruy Castro. Conheci-o nas coletâneas do mau humor e nunca mais parei de ler. As biografias do Garrincha e do Nelson, primorosas, A Onda que se ergueu do mar e Chega de Saudade estão na minha cabeceira, o livro sobre o Flamengo (claro) é um dos meus preferidos...mas é óbvio que você tinha que me tentar com um que eu não li ainda. Vou me presentear em janeiro e, só de encrenca, escrever uma lista de saudades lá no boboletas... ;)
Bjs

Bruno Dezinho disse...

É incrível como o tempo vai passandoe tudo vai se transformando de maneira rápida, não? Ahei a ideia interessante, justamente para pararmos e fazermos uma reflexão sobre o tempo, as gerações, a saudade, o presente, o passado e o futuro. Afinal, viver é isso, é ir guardando cá dentro uma porção de momentos que marcaram, seja positiva, seja negativamente.

M. disse...

Do século passado tenho saudade da minha infância...lol

Eu, Meu Contrário e Minha Alma disse...

Boa prosa
Sobre um livro que fala
sobre vidas cor de rosa

O Lufe lembra mais sobre a prespectiva de como senti o passado, sobre “Um pequeno passo para o homem e um grande passo para a humanidade” acontecimento que me apanhou na minha viagem para a Lua...anda (Angola, provincia colonial que acabou mal... ou bem, conforme a perspectiva)

yanne passos disse...

Oi Jussara,
Esse seu post me deixou saudosista e nostálgica, só consegui lembrar das coisas boas, das pessoas incriveis, se tivesse escolher uma época pra viver seria a década de 50, adora a moda da época, os objetos de decoração, as pessoas eram mais elegantes. Outra coisa que adoraria era ter ido á um show de Elvis Presley, quando ele enlouquecia as mulheres com aquele rosto lindo e com Love me tender, ai, ai, viajei. Assumo que quando criança assistia a todos os filmes do Elvis kkkkkkkkk. Nossa, conhecer Roberto Carlos, Tarcisío Meira, um luxo só.
Beijos e uma ótima semana.

Luma Rosa disse...

O último século sempre será melhor que o atual. O passado foi da efervecência nas artes, antes da cultura de massa e a invenção da tv. Eu nasci quando John Travolta e Michael Jackson, incentivaram os rapazes a serem mais soltos nas pistas. Elvis deixava os rapazes constrangidos. A minha maior saudade do século passado é que eu ainda era "filha" e o mundo não era um lugar tão sério e perigoso! Beijus,

Lúcia Soares disse...

Não sou saudosista.
Mas o século passado me levou vários amores: meu pai, tios, tias, sogra, sogro, cunhada...De gente, sim, tenho uma saudade louca.
Mas só pra não deixar de dizer: tenho saudade de andar nas ruas, a qualquer hora do dia ou da noite.
Saudade das chanchadas (não as porno), de Cantinflas, Jerry Lewis, Rock Hudson, Cyl Farney...rsrsrrs
Tempo bom demais, de criancices, descontração, acreditando que a vida era, sim, cor de rosa!
Beijos!

VaneZa disse...

Uma saudade... deixa eu ver... ah... promete que não vai rir? Lá vai... da turma do Balão Mágico, dos Trapalhões (os 4 juntos), daqueles filmes com robôs gigantes, do desenho Cavalo de Fogo por hora é o que eu me lembro. Não vale rir!

BeijoZzz

Monica™ disse...

Sou saudosista e nostálgica assumida !!! Mas isso me faz tão bem ... Sinto saudade de tudo dos anos 80, era tudo tão diferente, ou eu era diferente. Acho q os dois.

Sinto saudades dos domingos em família assistindo Os Trapalhões ou as tardes de sábado vendo Cassino do Chacrinha rsrsrsrs. Sem contar Jeannie é um Gênio q já era antiguinho na minha época mas eu adorava brincar q era ela e morava dentro das garrafa rsrsrs.

Beijo e ótimo Natal !!!

Léo Santos disse...

Nasci em 81, logo, vivi, ativamente, só a década de 90 no século 20! Mas, conto-me feliz por ter visto Romário fazendo gols nos gramados norte-americanos, o Grêmio ser campeão da libertadores e de mais um monte de coisas, assisti a todas - digo, todas mesmo - as reprises de filmes-trash-oitentistas na boa e velha sessão da tarde, joguei Atari e Super Nintendo e tantas outros lances-tri-bacana que não hei de lembrar agora. Saudades...

Um abraço! Feliz Natal!

Nira disse...

Nossa! Sou de 78 e lendo seu texto revivi muitas saudades que tenho! Vou procurar ler o livro que você indica. Belo post. Parabéns.

Carla Farinazzi disse...

Saudades...Foi o que mais me marcou ao ler o post e os comentários... Saudades... De um tempo que não volta mais.
Aliás, como disse o Renato Russo, grande poeta:

Eu quis o perigo
E até sangrei sozinho
Entenda!
Assim pude trazer
Você de volta pra mim
Quando descobri
Que é sempre só você
Que me entende
Do iní­cio ao fim.

E é só você que tem
A cura do meu vício
De insistir nessa saudade
Que eu sinto
De tudo que eu ainda não vi.

Beijos

Carla

Christine disse...

Aí que delicia de post! :)
Tenho saudade do sossego em que viviamos. De poder andar na rua, brincar na rua, jogar queimada e pular elástico...hehehe
Infelizmente meus filhos, apesar de terem nascido no século passado, não puderam usufruir dessas pequenas delícias.
Beijo e estou voltando a postar! :)

Andréa disse...

Oi Jussara,vim agradecer as palavras de apoio.
Nossa amiga,tô doidinha mesmo.
Mas caminhando para a recuperação.haha
Beijos

Inaie disse...

Ola Jussara, aqui tem tudo o que voce possa imaginar. Tem arvore de Natal, enfeites e tudo mais. Eles nao comemoram o Natal, mas Jesus e um dos profetas do Islam. Os muculmanos acreditam nele, acreditam na Virgem Maria (nao sei se acham que ela era virgem memso, mas acreditam que ela e a melhor mulher que ja passou pela terra).

Alem do mais, din din no bolso ninguem recusa, ne nao?

Celia na Italia disse...

Adorei!
Tem uma "certa" nostalgia!

Mimo Chic disse...

Ju,
Minha linda , fizemos uma postagem de final de ano, que cabe no seu coração que esteve conosco...
bjs grandes muito amor e paz!
Lulu & Sol

Carla Farinazzi disse...

Retornando, Jussara!

Apenas pra te deixar um super-beijo e um muito obrigada!

Carla

Paula Li disse...

Oi Ju, seu post deixou todos nostalgicos!!!
Acho tão interessante quando ouço que a palavra saudade só existe no nosso idioma.
Felicidades para você nesse novo ano que se inicie e de muita leitura e descobertas para todos nós.
bjs

Lud disse...

sou de 91 mas também sinto falta do século passado. Dos programas de tv infantis sem monstros explodindo e luzes piscando, de crianças pedindo bicicletas de natal, de gente brincando na rua. Sinto falta de crianças de 12 anos agindo como criança.
Parece que o novo século trouxe inovações tecnológicas mas esqueceu de trazer os antigos valores.