sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Presente

As palavras são vagabundas mas os presentes são de luxo. Olha o que eu ganhei do meu irmão.

PALAVRAS VABUNDAS   

palavras são mesmo vagabas
não conheço nenhuma
tão distinta
que não saiba a saliva
de muitas línguas

até as mais novinhas
mega-pixel
destrambelha
Já desanda em propaganda
e parece puta-velha

a roupa é sempre justa
e cada dia mais curta
Vossa mercê vira cê
cobrindo somente
a semente da fruta

palavra, palavra é puta
que amamos por toda vida
na cama, em pé, na latrina
sem vergonha alguma
mas ela gosta é da rua

livre, se dando à toa
pra todo mundo
de gozo frouxo, na voz do povo
quando toma e entoa
essas imundas

palavras vagabundas. 
 Fabio Brazil

SOBRE O AUTOR:
Fabio Brazil  -  paulista, antigo professor e atual escritor. Seu livro de contos Bola da Vez, já esta na praça.

3 comentários:

Anônimo disse...

Que delícia estar aqui!Sempre amando essas ingratas que nunca são mesmo nossas, ou melhor, só são nossas se forem de todos. Vagabas!
Beijo, Fábio.

Macá disse...

Jussara
Que presentão heim? Eu também quero!
Um beijo

david era uma vez... disse...

Nossa!!! adorei muuuuito! consegui ler e ouvir como se fosse uma musica! Se musico fosse, essa vagabunda ja estaria musicada!

Beijos Jussara
Parabens pelo presente e pelo irmão poeta