quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Conversando

Nunca vi uma descrição tão boa da minha relação com a leitura do que as descritas acima feita pelo meu irmão, por isso as escolhi para abrir esta conversa. Ele me fez pensar. Eu leio compulsivamente há mais de 40 anos, o que fazer com tanta leitura, além do prazer? Assim resolvi criar este blog para falar dos livros que li. Vou começar falando de um livro mas posso acabar numa receita de bolo, que eu li, mas que certamente não fiz.

TAL DIA É O BATIZADO, Gilberto Alencar



Este é um dos meus livros inesquecíveis , foi minha avó Adelaide que me deu para ler quando eu tinha lá pelos 16 anos. O livro é um romance que se passa na Inconfidência Mineira, cheio de mistério, amor, traição, nobres e sangue. Foi o primeiro romance histórico que eu li, me abriu um mundo a ser explorado, até hoje adoro livros de História do Brasil romanceado ou como uma boa reportagem. Tal Dia é o Batizado, é tão bem escrito e envolvente, que eu li de uma vez quase todo, mas... não li o último capítulo! Passei meses me recusando a acabá-lo pois eu sabia o fim, Tiradentes seria enforcado!
Minha avó frequentemente me perguntava: - Acabou?
- Não! Eu sei o fim!
Mas ela insistiu tanto, que finalmente li o último capítulo e chorei muito! Aliás, chorar em cima das páginas de um livro é minha especialidade. As vezes pode ser de raiva!
Não sei o que aconteceu com o volume que minha avó me emprestou. E nunca mais o reli, mas ficou a emoção.
Este livro, por sua história comigo, representa o que era, e é, a relação com livros na minha família, todo mundo lia muito e gostava de debater sobre eles. Tivemos verdadeiros best sellers familiares. Continuo mantendo a mesma relação com minhas filhas, lemos e passamos dias falando do livro.
”É ainda possível chorar sobre as páginas de um livro, mas não se pode derramar lágrimas sobre um disco rígido” (Jose Saramago)

SOBRE O AUTOR:
Gilberto Alencar (1886-1961) – escritor mineiro, viveu em Juiz de Fora onde exerceu jornalismo e a direção da Secretaria de Educação. Foi membro da Academia Mineira de Letras.

7 comentários:

Julio disse...

Oba!!! Vou ser o primeiro a postar um comentário... Considerando que quando vc casou fui o primeiro a visitar sua casa. Quando vc foi pro Rio fui o primeiro e mais assíduo a ir em cada casa sua...É JUSTO!
Pensando bem, vou ser o primeiro seguidor desse blog também... beijos.

Macá disse...

JU
Que legal, adorei o blog. O design dele está perfeito, tudo a ver. Essa empresa Bambolina é muito boa heim?
Olha, vou seguí-la, assim ficarei por dentro dos bons livros para ler.
um beijo grande

Anônimo disse...

Os textos que você gosta circulam por seu sangue. Alguns personagens, alguns textos, em algum momento te ajudaram a viver e a escrever.
Você tem a escrita tão límpida que é o paraíso onde quero chegar.
Bjs
Monica

Daniel Brazil disse...

Bem vinda à blogosfera! Nada como dividir as leituras. Tenho certeza de que vou aprender muito passando por aqui de vez em quando.

Beijo,

juremabrasil disse...

Eu também li este livro e gostei muito. Até porque fiquei conhecendo um outro Joaquim José da Silva Xavier.
Gostaria de reler...
jurema

jussara disse...

Ju, que delícia...Se todo "inativo" fizesse como você, com certeza a vida seria mais feliz.
Lindo blog, Lindo visual e Linda idéia.
Parabéns!!!!Vou ser seguidora.
beijo grande
Ju Oliveira

Monica disse...

Você negou a orelha do livro com sua prosa e está dando uma segunda chance a família dos solitários unidos. Adorei. Beijos